Petrobras apresenta robô que faz análises submarinas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O robô dará uma velocidade dez vezes maior às análises, o que reduzirá os custos consideravelmente, segundo informações da empresa.

A Petrobras revelou recentemente o início do licenciamento do robô Autonomous Underwater Risen Inspection (Auri), que foi desenvolvido em parceria com a PUC-Rio para executar inspeções em instalações submarinas. A máquina tem a capacidade de fazer a identificação das necessidades de manutenção dos dutos flexíveis que fazem o transporte do petróleo das instalações submarinas para as plataformas de produção.

Leia também: Projetos estudam a possibilidade de reduzir os preços dos combustíveis; saiba mais

Os primeiros testes foram realizados na Bacia de Campos, no estado do Rio de Janeiro, e o processo foi bem-sucedido na comprovação da eficácia do Auri.

“A Petrobras criou um amplo programa para aumento da segurança em operações de mergulho, denominado Programa Sinergia Diverless. Esse programa introduziu novas sistemáticas, metodologias e tecnologias para aumentar a segurança dos mergulhadores. Os resultados que temos obtido são um exemplo de como uma cultura de inovação e superação geram valor para o negócio, demonstrando que é possível produzir mais e com mais segurança” revelou João Henrique Rittershaussen, diretor de Desenvolvimento da Produção.

Limpeza em até 50 metros de profundidade

O controle da máquina é feito por um profissional à distância, que realiza a inspeção e todo o serviço de limpeza nos dutos flexíveis. As ferramentas utilizadas pelo Auri para executar tais tarefas foram projetadas com a capacidade de movimentação de até 360 graus.

As ferramentas utilizadas pela petrolífera são acopladas em um veículo com operação remota, porém o Auri utiliza os ROVs somente nos processos de instalação e desinstalação nos dutos, o que economizará mais de 1.300 horas de mergulho. O robô contribuirá também para a segurança dos profissionais, visto que ele chega até 50 metros de profundidade e pode ser utilizado em condições meteorológicas adversas.





Fonte: Fonte: R7