Pagamentos começam ainda em maio; confira o calendário

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Se você faz parte dos milhares de brasileiros que aguardam ansiosamente pelo calendário da restituição do imposto de renda (IR), saiba que os pagamentos de 2022 começarão ainda neste mês. Apesar do prazo para declaração do IR ter sido prorrogado para o dia 31 de maio, o primeiro lote da restituição também será pago nesta mesma data. Veja agora o cronograma.

Leia mais: 13º salário: confira o calendário de pagamentos da segunda parcela do benefício

Calendário da restituição do IR em 2022

Primeiramente, saiba que a restituição é liberada em 5 lotes e obedece a uma ordem. Dessa forma, quem faz a declaração primeiro tem mais chances de receber logo seu respectivo valor. Contudo, existem alguns grupos prioritários, sendo eles: idosos, pessoas com deficiência ou doenças graves e professores.

Agora, confira as datas do calendário da restituição para este ano:

  • 1º lote: pagamento em 31 de maio;
  • 2º lote: pagamento em 30 de junho;
  • 3º lote: pagamento em 29 de julho;
  • 4º lote: pagamento em 31 de agosto;
  • 5º lote: pagamento em 30 de setembro.

Deduções do imposto de renda – Saiba como funcionam

Os valores restituídos são provenientes das deduções que, resumidamente, são despesas que podem diminuir o valor do tributo que é cobrado. Deste modo, são exemplos de gastos dedutíveis as despesas médicas como medicamentos, exames e consultas; despesas com educação como escolas, faculdades e creches; pensão alimentícia; doações; previdência social ou privada e gastos com dependentes.

Como saber se o seu pagamento foi liberado?

Você pode consultar o site do Imposto de Renda na véspera da liberação do lote para saber se o seu pagamento foi incluído. Para realizar a consulta, basta informar o número do CPF e a data de nascimento.

Confira se não há problemas que possam atrasar sua restituição

É relevante acompanhar o processo da declaração do IR após o envio do documento, pois a Receita pode encontrar erros nas informações declaradas e, consequentemente, a restituição irá demorar mais para ser liberada.

Caso as inconsistências identificadas pela Receita não sejam corrigidas, a declaração vai para a malha fina e, com isso, a restituição só será paga após a correção dos problemas, em lotes residuais, que geralmente são liberados no fim do ano ou no início do ano seguinte.

Fonte: Fonte: R7