O mercado de trabalho e os profissionais com mais de 50 anos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O Brasil já conta com mais de 54,8 milhões de brasileiros que ultrapassaram a faixa dos 50 anos, conforme as informações do site Longevidade. Segundo o levantamento, a cada 21 segundos mais um brasileiro atinge os 50 anos. Assim, a questão é como as empresas, especialmente as pequenas e médias, poderão ser beneficiadas com essa mão de obra mais velha que cresce e se torna gradativamente mais produtiva?

Leia também: Você sabe quais os 5 direitos que uma mãe tem no mercado de trabalho?

O Brasil conta com mais de 28 milhões de idosos, isto é, pessoas com mais de 60 anos, o que representa uma parcela de 13% da população brasileira. A expectativa é de que esse número dobre nas próximas décadas, segundo os estatísticos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2043, 25% da população irá ultrapassar os 60 anos, ao passo que a proporção de jovens até os 14 anos será de 16,3%. Ou seja, o “índice de envelhecimento”, que é a relação traçada entre a porcentagem de idosos e de jovens, deverá crescer de 43,19%, em 2018, para 173,47%, em 2060.

Outros dois fatores que contribuem com essa situação são a Reforma da Previdência, que espichou a vida dos brasileiros no mercado de trabalho, e também a expectativa de vida, que cresceu exponencialmente com o avanço da medicina, melhores condições sociais e de alimentação.

O mercado de trabalho após os 50 anos

O Brasil ultrapassou a marca dos 12 milhões de desempregados, e o grupo que mais sofre com isso são aqueles que possuem mais de 50 anos. Os números do desemprego nessa faixa etária alcançaram o seu mais alto nível em 2020, desde que chegou a 7% em 2012. Entre 2019 e 2020, mais de 400 mil brasileiros +50 sofreram com a falta de emprego, segundo os dados do IBGE.

Ainda que os números do desemprego representem um alto índice, a ausência de mão de obra qualificada vai impactar cada dia mais as empresas, em todas as áreas. Assim que a economia aquecer, faltarão jovens qualificados em quantidade necessária para ocupar as vagas que o mercado vai precisar em todas as áreas.

A população, de forma geral, vive mais e será necessário que o mercado de trabalho se acostume com seus quadros de funcionários com colaboradores que já passaram dos 50 anos.

É necessário ressignificar as modalidades de trabalhos para os profissionais +50. Para facilitar e colaborar com o aumento da empregabilidade desses profissionais, devem surgir novos modelos de contrato, assim como rotinas de trabalho independentes. Esses trabalhadores têm muito a dar para as empresas no âmbito do conhecimento e experiência.



Fonte: Fonte: R7