Nível de prova no 2ºdia de Enem divide opiniões de candidatos em São Carlos | São Carlos e Araraquara

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O nível da prova no segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dividiu opiniões de candidatos de São Carlos (SP) ouvidos pelo g1 que testaram os seus conhecimentos neste domingo (28) ao responderem questões de matemática e ciências da natureza (química, física e biologia).

A estudante Rayssa Costa, de 19 anos, disse que foi complicado fazer alguns exercícios de matemática, mas não teve tanto problema com a prova no geral. “Na semana passada, fui melhor em humanas, mas acho que garanto uma boa nota em exatas também”, disse.

Rayssa, que busca uma vaga no curso de educação física na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), prestou o Enem em 2018 como treineira. Após concluir o terceiro ano do ensino médio, ela comprou um cursinho online e se preparou como deu.

“Eu sou uma pessoa que disperso muito fácil. Então é só pela força de vontade mesmo conseguir focar para estudar tudo e conseguir fazer o Enem!, disse a jovem que sonha em abrir uma academia após se formar.

Vinicius Araújo, 26 anos, avaliou que a prova foi tranquila — Foto: Thainá Araújo/g1

O candidato Vinicius Araújo, de 26 anos, que estuda física na UFSCar, achou a prova deste domingo mais tranquila porque tem mais facilidade com exatas.

O jovem, que presta o Enem todo ano para acompanhar o conteúdo, disse que notou diferença na elaboração das questões em relação a outras edições do exame.

“Tinha muita pergunta que se a pessoa tivesse uma concentração ela deduzia 30% da prova com lógica. Fiquei feliz porque caiu muita coisa que eu aprendi no ensino médio”, disse.

A candidata Cleidiane Rios da Silva, de 28 anos, disse que chutou algumas questões — Foto: Thainá Araújo/g1

A candidata Cleidiane Rios da Silva, de 28 anos, disse que não se saiu muito bem e deixou o local da prova mais cedo neste domingo porque desanimou.

Ela, que já prestou o Enem cinco vezes, disse que para esta edição estudou por conta à noite porque trabalha em período integral.

“Estava complicado, bem confuso. Quando você começa a ler alguma coisa e não entender mais nada, você começa a desanimar. Eu falo que teve umas que eu chutei”, disse a candidata que busca uma vaga no curso de administração.

Marcelo Lemos Junior, de 17 anos, prestou o Enem como treineiro — Foto: Thainá Araújo/g1

Já o estudante Marcelo Lemos Junior, de 17 anos, disse que a prova foi tranquila.

“Apesar de estar no segundo ano e ainda não ter visto todos os conteúdos, achou que vou bem”, disse o jovem que fez o exame como treineiro e pretende cursar engenharia aeronáutica.

O enfermeiro Eduardo Gomes, de 43 anos, que é professor no Hospital Universitário da UFSCar, prestou o Enem para acompanhar o conteúdo e se atualizar.

“Comparada com os outros anos, percebe-se que essa prova de hoje está bem mais elaborada com questões mais sofisticadas que cobram além da decoreba, levando o aluno a ter uma interpretação e uma inteligência mais abrangente o conteúdo”, avaliou.

Para ele, o único ponto negativo foi as questões extensas. “Você cansa um pouco ao ler o enunciado, mas exige bem mais interpretação do que os últimos anos”, disse.

O enfermeiro Eduardo Gomes, de 43 anos, presta o Enem para se atualizar — Foto: Thainá Araújo/g1

*Sob supervisão de Fabio Rodrigues, do g1 São Carlos e Araraquara.

VÍDEOS: Reveja as reportagens dos telejornais da EPTV



Fonte: Fonte: G1