#LancheiraDoDia: mães bombam nas redes sociais montando as lancheiras dos filhos; veja quais alimentos priorizar | Saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Frutas em formato de coração, pães cortados em formas diversas, bilhetinhos, potes coloridos e lúdicos. É só entrar nas redes sociais para encontrar a trend da #lancheiradodia. Nela, mães dão dicas para montar lancheiras que sejam atrativas para as crianças e também compartilham receitas mais saudáveis para os pequenos.

Paloma Boff é uma dessas influenciadoras. Ela mora em Portugal com o marido e com a filha, Valentina, e demora entre 15 e 30 minutos na montagem e gravação do vídeo. Para ela, a lancheira é uma “caixinha de amor”. “Na lancheira eu consigo transmitir o amor. Ela sabe que eu cuidei, tive carinho de fazer aquilo para ela”, conta.

A montagem da lancheira da Luna — Foto: Dani Lima/Arquivo pessoal

Dani Lima concorda com Paloma. Ela mora no Rio de Janeiro e também mostra as lancheiras da filha Luna, de 2 anos, nas redes sociais.

“É um meio de demonstrar carinho, cuidado. Eu percebo que o impacto é positivo quando a vejo replicar isso em suas brincadeiras. Sempre pela manhã ela prepara o ‘lanchinho das bonecas’ e diz que vai fazer ‘igual a mamãe faz o da Luna’”, diz Dani.

Dani Lima e a filha Luna, de 2 anos — Foto: Dani Lima/Arquivo pessoal

Além disso, as influenciadoras acreditam que esse momento é fundamental para criar uma boa relação com os alimentos.

“Essa atividade significa a oportunidade de levar minha filha a criar uma boa relação com os alimentos e com o ato de comer em si, num lugar onde é possível se alimentar de forma variada, saudável e divertida, sem pressão e sem traumas!”, explica Dani.

Esta troca de experiências, inclusive, é fundamental para o desenvolvimento dos filhos, como explica o pediatra Pedro Cavalcante.

“Quando incluímos a criança no preparo de qualquer alimento, começamos a criar uma relação com aquilo que ela está fazendo. Vai ter até mais confiança com os pais, vai aprender a importância dos alimentos e pode até gostar de alimentos que não gostava antes. Ela vai relacionar o alimento com momento de felicidade“, explica Cavalcante, que também é membro da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Paloma Boff e a filha Valentina — Foto: Paloma Boff/Arquivo pessoal

O que colocar na lancheira?

Paloma, mãe da Valentina, conta que, após seus vídeos viralizarem nas redes sociais, pesquisou mais sobre quais itens incluir na lancheira da filha. Além disso, também aprendeu receitas mais saudáveis. “Como teve esse boom das lancheiras, eu pesquisei bastante e aprendi o que deveria ter no lanche da minha filha. Sempre coloco carboidrato, proteína, fruta e água“, diz.

E a mãe da Valentina está certa. Segundo os especialistas, os pais devem priorizar três grupos de alimentos na lancheira:

  • Grupo 1: Frutas e vegetais
  • Grupo 2: Carboidrato – traz energia (alimentos à base de grãos e pães, pipoca)
  • Grupo 3: Proteína – ajuda no crescimento e saciedade (leite, queijos, ovos e outras fontes como patê de frango, atum)

E qual a bebida? Água! É importante que a criança se hidrate ao longo do dia. Por isso, uma garrafinha cheia de água é item obrigatório na lancheira.

“Sempre priorizar a água. Os sucos estimulam o consumo de açúcar. Sucos prontos, como néctar, têm mais açúcar do que fruta. É sempre melhor que a criança coma fruta e beba água“, orienta a nutricionista Ariana Ester Fernandes, membro do Departamento de Obesidade Infantil da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica).

Segundo a nutricionista, a quantidade de alimentos vai depender da idade, da fome, de quanto tempo a criança fica na escola e de qual período é o lanche (manhã ou tarde).

Abaixo, algumas sugestões de combinações, segundo a Abeso (veja as receitas para lancheiras):

O que levar na lancheira? — Foto: Arte/g1

Outro ponto fundamental na hora de montar a lancheira é saber o que a criança quer. Ariana diz que é sempre importante conversar com a criança sobre a alimentação, para entender as preferências e o que ela não gosta.

A Dani, mãe da Luna, já descobriu o que não pode faltar na lancheira da filha: frutas. “Luna é fascinada pelo colorido e pelos sabores diversos das frutas, e sempre que dá, gosto de colocar mais de uma opção de fruta, pq sei que ela vai amar“, conta.

Também é possível abrir “exceções” uma vez por semana. “Às vezes a criança quer levar um suco, uma bolacha recheada. Dá para encaixar, mas é preciso pensar também na quantidade. Você não vai mandar um pacote de bolacha recheada, por exemplo”, orienta a nutricionista da Abeso.

Recadinhos que a Dani manda para a Luna — Foto: Dani Lima/Arquivo pessoal

O mais importante, segundo a nutricionista, é o planejamento e a organização.

“Precisa pensar no que vai ter na lancheira. Se você pensar a cada dia, você não tem tempo de se programar. Tente se organizar e envolva também a criança. A gente não vai ceder sempre, mas é possível incluir alimentos ‘não saudáveis’ uma vez ou outra”, ressalta Ariana Fernandes.

Veja alguns pontos importantes:

  • Planejar os lanches da semana e organizar a lista de compras
  • Após a compra, higienizar verduras, legumes, frutas e mantê-los armazenados em geladeira
  • Organizar o preparo de alimentos
  • Higienizar a lancheira sempre que a criança chegar da escola.
  • Embalar os sanduíches em papel filme, saco tipo zip, ou colocá-los em um pote plástico
  • Preferir uma lancheira de material térmico
  • Se possível, tente produzir pratos mais lúdicos, um atrativo para as crianças
  • Ofertar alimentos que as crianças não gostam de outras formas

A montagem da lancheira da Valentina — Foto: Paloma Boff/Arquivo pessoal

A importância do comer bem

Uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, proteínas e gorduras boas ajuda a manter uma qualidade de vida, além de diminuir o risco de doenças metabólicas.

“A alimentação é fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criança. Se estimularmos a criança a comer mais saudável desde a primeira infância, evitando ultraprocessados, essa criança terá reserva de vitaminas e nutrientes para o seu desenvolvimento. Alimentação saudável é um pensamento para o futuro“, explica o pediatra Pedro Cavalcante.

Além de ofertar alimentos mais saudáveis, os pais também devem criar um ambiente favorável para os filhos. “Se os pais não têm hábitos saudáveis, o filho também não vai ter. A família precisa seguir o mesmo estilo de vida”, orienta Cavalcante.

O pediatra alerta que os pais devem evitar ao máximo os ultraprocessados. No entanto, não devem se sentir culpados caso não consigam montar a “lancheira dos sonhos” todos os dias. “Está tudo bem não conseguir dar conta de tudo todos os dias, mas isso não pode se tornar um hábito, ainda mais por causa do excesso de açúcar e sódio”.

Mães bombam nas redes sociais montando as lancheiras dos filhos — Foto: Paloma Boff/Arquivo pessoal



Fonte: Fonte: G1