Homem que enterrou crianças em um ônibus sai em condicional

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Em 1976, um homem sequestrou um ônibus cheio de crianças e enterrou-as vivas. Além disso, com o apoio de mais duas pessoas, ele exigiu do conselho estadual de Educação dos Estados Unidos cerca de U$ 5 milhões para o resgate. Depois de solicitar por liberdade, Frederick Woods, o homem que enterrou essas crianças, recebeu liberdade condicional. Entenda mais sobre o caso.

Leia mais: Saiba quais documentos são necessários para aposentadoria híbrida

Entenda o caso

Em 15 de julho de 1976, Frederick Woods e seus cúmplices, os irmãos Richard e James Schoenfield, sequestraram 26 crianças e o motorista do ônibus em que elas estavam, perto da cidade de Chochera, 200 quilômetros a sudeste de São Francisco. O grupo então levou os reféns para Livermore, a 160 quilômetros de distância, onde foram carregados em um caminhão em movimento e enterrados vivos. Woods e os irmãos ainda pediram ao conselho estadual de educação US$ 5 milhões como resgate.

As crianças, que tinham de 5 a 14 anos, e o motorista do ônibus conseguiram cavar a saída após 16 horas. Dessa forma, este é considerado o maior sequestro em massa da história americana. Os sequestradores foram presos e condenados à prisão perpétua.

Contudo, o falecido pai do governador Gavin Newsom, o juiz estadual William Newsom, reduziu as sentenças de prisão perpétua dos três homens em 1980, para que eles pudessem ter uma chance de liberdade condicional. Richard obteve liberdade por uma ordem do tribunal de apelações em 2012, e James saiu em liberdade condicional por decreto do então governador. Já o outro cúmplice, Jerry Brown, foi solto em 2015.

Woods teve apoio de sobreviventes do ataque para sua liberação

Frederick Woods, hoje com 70 anos, recebeu 17 audiências de liberdade condicional na Penitenciária Estadual da Califórnia para a Colônia de Homens da Califórnia. Ele teve apoio de dois sobreviventes.

Um deles, Larry Park, que apoiou a liberdade de Woods, afirmou que ele já havia cumprido pena suficiente pelos crimes que cometeu. Além disso, outra jovem que sobreviveu ao ataque, Rebecca Reynolds Daley, se juntou a Park em apoio à libertação de Woods.



Fonte: Fonte: R7