Governo visa combater evasão escolar no ensino médio com apoio financeiro aos estudantes


Na última terça-feira, o executivo federal deu início a uma inovadora iniciativa com o intuito de combater o índice de evasão escolar no âmbito do ensino médio.

A proposta, que está sendo minuciosamente elaborada, contempla a implementação de auxílios financeiros de permanência para os discentes, além de uma poupança especial que poderá ser resgatada pelos jovens ao culminar esta fase crucial de sua trajetória educacional.

Auxílio Financeiro e poupança especial

A ideia central do programa é propiciar um suporte financeiro substancial aos estudantes de baixa renda, permitindo-lhes dedicar-se com exclusividade aos estudos, e assim, concluir o ensino médio.

Esta medida vem como resposta a uma problemática comum: frente às adversidades econômicas familiares, muitos jovens se veem compelidos a ingressar prematuramente no mercado de trabalho, abandonando a educação formal.

Este auxílio financeiro será dispensado mensalmente, destinado a cobrir despesas cotidianas dos alunos, propiciando um ambiente mais propício ao foco acadêmico.

Por outro lado, a poupança acumulada será um incentivo adicional, podendo ser utilizada para perspectivas futuras como investimento em educação superior ou até mesmo o embrião de um empreendimento próprio.

Para garantir o comprometimento dos beneficiários, serão estabelecidas algumas condições, como manutenção de frequência escolar satisfatória e desempenho acadêmico adequado.

Embora os valores específicos destinados a cada vertente do programa ainda não tenham sido revelados, é uma iniciativa que evidencia o comprometimento em reverter o cenário de evasão escolar, que atinge cerca de 7% dos estudantes do ensino médio.

Escolas Conectadas

Adicionalmente, foi anunciada na mesma data uma estratégia ambiciosa para alavancar a conectividade nas instituições de ensino públicas.

O plano é expandir a infraestrutura de banda larga para todas as escolas públicas nacionais até 2026, através de um aporte financeiro robusto que soma R$ 6,5 bilhões oriundos do Novo PAC.

A meta é não apenas facilitar o acesso à internet para aproximadamente 4,1 milhões de estudantes, mas também integrar recursos tecnológicos modernos como tablets e computadores ao cotidiano educacional.

Esta estratégia visa alinhar a infraestrutura digital às diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), fomentando a cidadania digital e contribuindo para a elevação da qualidade educacional e gestão eficiente das instituições de ensino.

Outro ponto salutar é a extensão da conectividade para unidades básicas de saúde situadas nas adjacências das escolas, demonstrando uma visão integrada de desenvolvimento comunitário.





Portal R7