Governo de SP abre matrícula para vagas em cursos técnicos integrados ao ensino médio no estado; veja como se inscrever | São Paulo

0
25


O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (7) a ampliação do número de vagas em cursos profissionalizantes integrados ao ensino médio do estado. A partir do ano que vem, as aulas serão dentro das escolas estaduais, numa parceria entre o Centro Paula Souza e a Secretaria Estadual da Educação.

Segundo o governo paulista, serão oferecidas 23.040 vagas em 241 municípios e as aulas serão na mesma escola e horário em que o aluno estuda, terão certificado de habilitação técnica, além do certificado de conclusão do ensino médio.

As matrículas já começaram para nove cursos em áreas de maior interesse dos jovens. Não haverá exame de seleção, como o Vestibulinho e as matrículas podem ser feitas através do site do programa Novotec: www.novotec.sp.gov.br.

Podem se matricular jovens que estejam cursando a nona série do ensino médio este ano. As matrículas estão divididas da seguinte maneira:

  • até o dia 16 de outubro para alunos das redes estadual e municipal.
  • de 16 até dia 30 de outubro para alunos de escolas particulares.

Governo do Estado vai anunciar a abertura de 23 mil vagas no ensino técnico

Governo do Estado vai anunciar a abertura de 23 mil vagas no ensino técnico

Opções de ensino técnico

“No ano letivo de 2021 o governo do estado de São Paulo vai oferecer 23.040 vagas para o próximo ano letivo, com 9 opções de cursos técnicos gratuitos, dentro do programa Novotec Integrado. 241 municípios de todas as regiões do estado de São Paulo vão receber turmas do Novotec Integrado”, disse o governador João Doria (PSDB) nesta quarta (7).

De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, os estudantes também poderão, no ato da matrícula, escolher cursos adicionais à carga horária regular. Estarão disponíveis o modelo de ensino técnico do “Novotec” desenvolvido em parceria com o Centro Paula Souza; o quarto ano do ensino médio opcional para alunos que tiveram prejuízo do aprendizado durante a pandemia; a matrícula em escolas de tempo integral e cursos de idiomas oferecidos pelos Centro de Estudos e Línguas.

O “Novotec Integrado” é uma modalidade do programa que permite que os estudantes cursem o ensino médio integrado ao técnico na mesma escola e no mesmo turno.

A diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, disse que o programa pode ser acessado, inclusive, por alunos da rede privada.

“Podem se inscrever todos os alunos que hoje cursam a nona série na secretaria estadual de educação, na secretaria municipal de educação e também nas escolas privadas, que desejem cursar o ensino técnico integrado ao médio em uma das escolas”, disse.

“Os alunos vão poder se inscrever pelo site da secretaria Escola Digital, eles podem também acessar o site www.novotec.sp.gov.br para também entender melhor essas possibilidades”, completou.

VOLTA ÀS AULAS EM SP: Alunos sentam em carteiras separadas na Escola Estadual Thomaz Rodrigues Alckmin, no bairro do Itaim Paulista, na Zona Leste da cidade de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (7) — Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo

O governo de São Paulo também anunciou nesta quarta-feira (7) que 10 mil alunos e 9,3 mil servidores da rede estadual de educação vão ser submetidos a exames de Covid-19. Segundo o Censo Escolar, a rede estadual tinha, em 2019, 3,5 milhões de alunos no ensino básico, da creche até o ensino médio. A rede de educação paulista conta com 315 mil servidores, cerca de 250 mil professores e outros 65 mil funcionários que atuam em funções administrativas ou técnicas.

Os exames, que, de acordo com o governo estadual, começam na próxima terça-feira (13), serão do tipo RT-PCR, que verifica a presença do vírus no organismo no momento do exame e, portanto, identifica casos ativos da doença, mesmo que assintomáticos.

Já o exame sorológico avalia a presença de anticorpos específicos (IgM/igG). Portanto, identifica casos passados da doença. Ele foi usado pela Prefeitura de São Paulo para monitorar a porcentagem da população que já teve contato com o vírus. A administração municipal anunciou no final de setembro que o exame será feito em todos os 777 mil estudantes, além de professores e funcionários como medida de monitoramento da reabertura das escolas da capital paulista.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, os testes vão ocorrer em 20 municípios do estado espalhados por todas as regiões de saúde. Em cada cidade, 5 escolas serão sorteadas e, em cada uma, 100 alunos e todos os servidores serão examinados.

“Nós sabemos que grande parte dos municípios já vem fazendo inquéritos que nós chamamos sorológicos. Através dessa metodologia que eu vou apresentar agora existe um diferencial: nós vamos avaliar naqueles indivíduos assintomáticos a presença do vírus, mostrando o momento atual dessa circulação. Então o objetivo dessa testagem é estimar a incidência, e incidência quer dizer presença de novos casos de infecção de SARS-COV-2, em escolas do estado de São Paulo durante o retorno às aulas”, disse Gorinchteyn nesta quarta (7).

Teste de coronavírus aplicado em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Anúncio de exames sorológicos

Em 21 de agosto, o governo havia anunciado que faria um inquérito sorológico, com exames de anticorpos, em alunos e professores da rede estadual de ensino.

“A segunda boa notícia é que São Paulo vai realizar a partir dos próximos dias um inquérito sorológico em alunos e professores da rede estadual de educação. As secretarias de saúde e educação do governo do estado estão realizando toda a logística necessária para a realização de um amplo inquérito na rede estadual de educação”, disse o vice-governador Rodrigo Garcia, durante coletiva de imprensa no Palácio do Bandeirantes na ocasião.

Moradora de Paraisópolis, em São Paulo, faz teste sorológico para detecção de anticorpos contra o coronavírus em 11 de setembro — Foto: Carla Carniel/AP

Segundo o vice-governador, o estudo seria usado para definir diretrizes da reabertura das escolas.

Questionado nesta quarta-feira (7) sobre a realização do inquérito sorológico anunciado em agosto, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, não respondeu se ele chegou a ser implementado, mas destacou a importância dos exames do tipo RT-PCR que serão feitos a partir da semana que vem.

“O que nós entendemos é que quando você faz o RT-PCR você identifica, nesse momento, como está a circulação do vírus em uma determinada região. Quando você faz o inquérito sorológico, ele diz apenas o que aconteceu, lá no passado. E esse passado pode ser um mês, há 2 meses e não muda em nenhuma condição as medidas sanitárias que estão sendo regradas”, disse Gorinchteyn.

Estudantes em aula de inglês mcom uso de computadores — Foto: Divulgação

VÍDEOS: Especialistas analisam os desafios da volta às aulas na pandemia



Fonte: Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui