Fui mal no Enem, e agora? É hora de manter a calma e apostar suas fichas no segundo dia – Notícias



Após conferir o gabarito extraoficial do primeiro dia de provas do Enem, o candidato que foi mal não deve perder as esperanças e precisa focar o segundo domingo de testes, dia 12. 


Isso porque o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação do exame, usa o método da TRI (Teoria de Resposta ao Item) e as notas variam conforme os acertos e erros dos outros participantes. 



Além disso, a nota da redação tem um peso grande na somatória final — ela vale mil pontos e é acrescentada à média do restante das questões.  


De qualquer forma, o gabarito oficial só será divulgado no dia 24 de novembro, e o resultado final, em 16 de janeiro.


Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo Telegram


Madson Molina, coordenador do Curso Anglo, lembra que, na plataforma do Sisu, instituições de ensino superior públicas e federais colocam pesos distintos nas diferentes áreas do conhecimento.


Então, caso o aluno tenha ido mal em ciências da natureza e melhor em redação, ele pode pleitear uma vaga em uma universidade que dê um peso maior à redação, por exemplo.

“Uma situação que acontece bastante: uma escola de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro coloca um peso quatro para matemática e ciências da natureza, enquanto uma outra escola de engenharia pode colocar peso um”, diz Molina.


Coordenador pedagógico do colégio Mopi, Luiz Rafael Silva é outro que afirma que nem tudo está perdido.

“É claro que, para alguns cursos, isso pode ser um diferencial, principalmente se forem cursos das áreas de linguagens e humanas. Mas a contabilização das notas é feita pela Teoria de Resposta ao Item, que só disponibiliza a nota futuramente, ou seja, esse resultado acaba sendo um mistério nesse contexto para o estudante.”

*Sob supervisão de Vivian Masutti

 



VEJA TAMBÉM: Baralho, macetes e musiquinhas: veja 7 dicas para memorizar fórmulas de matemática brincando




Portal R7