Fotografia inédita mostra o ditador norte-coreano Kim Jong-Un com sua filha mais nova

Durante a noite da última quarta-feira (8), Kim Jong-Un, ditador da Coreia do Norte, participou do desfile militar em comemoração aos 75 anos das Forças Armadas ao lado da segunda filha. A noite na capital Pyongyang marcou a demonstração do poder bélico norte-coreano.

O ditador passeou entre os mísseis nucleares mais novos das forças militares do país. O que chamou a atenção de todos foi a presença da segunda filha de Kim, uma aparição raríssima que pode ser contada nos dedos de uma das mãos. A imprensa supõe que a menina tenha ao menos 10 anos de idade e surgem rumores de que ela poderá substituir o pai na liderança do país.

No dia anterior ao desfile, Kim levou a mesma filha para que pudesse conhecer as tropas e disparava elogios sobre o patamar quase que inalcançável do poder nuclear. O desfile contou com um recorde de mísseis nucleares presentes, como uma tentativa de persuasão mundial.

 

Foto: KCNA via Reuters.

Ditador e a aparição da filha na mídia: o que significa?

Em outros momentos, a aparição de uma criança poderia não levantar tantos rumores. A presença da filha mais nova do ditador denota outras questões, como apontam os analistas, funcionando como uma declaração do ditador sobre a dinastia que pertence à família dele.

A presença da menina atraiu olhares atentos do mundo inteiro. De acordo com informações locais, foi um momento de descontração e reverência a uma possível herdeira do poder familiar. A mídia supõe que esta seja a quinta vez que a menina apareceu publicamente.

Dueyon Kim, analista de segurança dos EUA, informou que existem apenas especulações no momento, sem grandes perspectivas de afirmações. “Ele parece estar tentando reiterar a importância, o status e a legitimidade de uma descendência direta da linhagem Kim. É muito cedo para assumir que ela será sua herdeira”, informou.

Fonte: Fonte: R7