Fogões a gás podem ser proibidos nos Estados Unidos; saiba porque

O fogão a gás é um eletrodoméstico popular em diversas residências no mundo inteiro. Inclusive, aqui no Brasil, com a maioria da população tendo acesso a ele.

Veja também: 3 dicas para diminuir os gastos com gás de cozinha

Apesar de comum, muito tem se discutido sobre a segurança, riscos e efeitos desse equipamento nos Estados Unidos, através de fóruns e debates públicos sobre os impactos do uso do fogão a gás no meio ambiente e até mesmo na saúde dos norte-americanos.

A origem da discussão

A Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos EUA (CPSC), ponderou que os fogões a gás fossem banidos do país. A polêmica começou logo depois do comissário Richard Trumka Jr., ter feito os comentários em uma entrevista à Bloomberg. Em uma de suas falas, foi dito que os fogões a gás natural são “um perigo oculto”.

No sentido da proibição, há uma preocupação em relação aos poluentes criados pelos fogões a gás. É argumentado, a favor do banimento, que os fogões domésticos podem emitir dióxido de nitrogênio, metano e outros poluentes.

Ademais, foi também comentado sobre uma suposta maior chance de crianças expostas ao fogão a gás desenvolverem doenças respiratórias, assim como asma.

O estado de Nova York, um dos mais populosos do país, aprovou uma lei que proíbe os fogões a gás em novos edifícios, visando reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Como resultado, a medida proíbe a instalação de equipamentos movidos a combustíveis fósseis em prédios de sete andares ou menos em 2026, e uma proibição para prédios maiores a partir de 2029.

Como a decisão afetaria a população?

A divulgação de notícias que dão como certa a proibição chamou a atenção dos moradores dos Estados Unidos. Afinal, O fogão a gás é um eletrodoméstico presente em mais de 40 milhões de lares no país.

Por meio de seu Twitter, Richard Trumka Jr. falou que uma possível proibição seria apenas para os novos fogões a gás e que os regulamentos se aplicam a novos produtos.

Independentemente da decisão ser ou não tomada algum dia, fato é que as pessoas já estão procurando por meios mais sustentáveis e seguros para cozinhar, a fim de garantir novos meios em caso de a proibição “pegar” de verdade.

Por hora, o governo do estado de Nova York informa que as pessoas não serão obrigadas a se desfazer dos seus fogões ou algo do tipo. A transição para novos tipos de equipamentos será suave e feita ao longo de anos, segundo as autoridades da unidade federativa estadunidense.

Fonte: Fonte: R7