Falta de vitamina D pode levar à demência

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

É fato que todos queremos manter a saúde do cérebro em dia. Para isso, é necessário adotar alguns hábitos saudáveis, como evitar o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro, manter uma boa alimentação e ter vida social. Dessa forma, é possível manter a saúde e evitar alguns problemas graves a longo prazo.

Nesse sentido, a ciência aponta que a falta prolongada de algumas vitaminas pode levar até mesmo à demência. Entenda mais abaixo.

Leia mais: Estudo faz relação de melhoria do Alzheimer com o colesterol “bom” (HDL)

Como o estudo foi feito?

Os pesquisadores da Universidade da Austrália avaliaram os dados de saúde de mais de 290 mil pessoas através do UK Biobank, realizando comparações entre os níveis de vitamina D de cada indivíduo com suas respectivas imagens de áreas do cérebro responsáveis pela memória.

Assim, foi possível perceber que participantes que tinham um nível mais alto de vitamina D no organismo apresentaram um risco de demência reduzido.

A importância da vitamina D

Os benefícios que a vitamina D oferece ao nosso corpo já são conhecidos há muito tempo, especialmente quando falamos do sistema imunológico e dos ossos. Entretanto, o que surpreendeu os pesquisadores foi o fato dela desempenhar um papel importante para também para a saúde do cérebro.

Inclusive, em alguns casos, a falta desta vitamina é até mesmo comum, afetando diretamente a população mais velha de algumas regiões. No Reino Unido, por exemplo, foi possível observar que até 17% dos casos de demência poderiam ter sido evitados através do aumento desses nutrientes no corpo, estabelecendo-os em uma faixa normal.

Caso essa seja uma preocupação, você pode ter seus níveis de vitamina D testados anualmente por um médico. Se for constatado um nível baixo da vitamina no organismo, é recomendado o uso de algum suplemento alimentar. A partir daí, é sugerida uma quantidade de cerca de 600 UI da vitamina por dia, que pode ser encontrada tanto nos alimentos quanto em suplementos.

Por fim, especialistas acreditam que por meio de bons hábitos alimentares e melhor qualidade de vida é possível mudar essa realidade em que uma parcela gigantesca da população seja afetada pela demência.

Fonte: Fonte: R7