Estado pagará R$ 500 para 20 mil pais trabalharem da rede pública de ensino

0
8


São Paulo contará com 20 mil pais de alunos da rede pública de Educação para fiscalizar protocolos sanitários. O governo anunciou a contratação dos pais na última quarta-feira (14). Os contratos oferecem bolsa-auxílio de R$ 500 para cada trabalhador.

Leia também: MEC oferece 9 minicursos online de Matemática para estudantes e profissionais

Além de atuarem na fiscalização sanitária, os selecionados vão trabalhar também no apoio à educação especial de escolas estaduais. Para o pagamento dos auxílios, o governo paulista planeja investir R$ 63 milhões. 

Segundo informações do Palácio dos Bandeirantes, o projeto deve durar até o final de 2021. A medida tem como objetivo facilitar a adesão de pais e alunos ao retorno das aulas. Até o momento, por conta da pandemia, o ensino remoto estava sendo utilizado em larga escala.

Além disso, a bolsa-auxílio é uma forma de contribuir com o desemprego e os danos causados pela atual crise. 

A vacinação de toda a população adulta deve terminar até setembro, em SP. Com isso, espera-se que a margem de segurança para o retorno das atividades seja ampliada.

Para concorrer a uma das vagas do programa, o pai ou mãe deve estar desempregado há, pelo menos, três meses. O candidato deve ser o responsável legal pelo aluno da rede pública de SP e residir próximo da escola.

Os pais que possuem registro no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal devem ter preferência. Pais maiores de idade, mães e a proximidade entre a residência e a escola também serão fatores positivos para seleção.

O nome do programa paulista é “Bolsa do Povo Educação”. As inscrições dos interessados podem ser feitas entre os dias 19 e 31 de julho. Para se candidatar, acesse o site: https://www.bolsadopovo.sp.gov.br/.

Confira alguns cursos Gratuitos

Cada pai ou mãe ainda deve passar por entrevista e análise junto à direção escolar. O início dos trabalhos está previsto para ocorrer em 16 de agosto.

A medida faz parte de uma série de anúncios do Governo do Estado para o enfrentamento da pandemia e seus impactos. “O programa é uma medida muito importante, tanto para as escolas quanto para as famílias que mais precisam. Temos trabalhado muito no Governo de São Paulo para apoiar a todos, na área social, inclusive na alimentação escolar, servindo marmitas para os alunos”, afirmou Rossieli Soares, Secretário Estadual da Educação.

Confira abaixo todos os dados do Bolsa do Povo Educação e veja como participar:

  • Ser responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família);
  • Estar desempregado há pelo menos três meses;
  • Ter entre 18 e 59 anos;
  • Morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros).

São critérios preferenciais:

  • Estar cadastrado no CadÚnico;
  • Ser mãe de aluno da rede estadual;
  • Ter filho estudando na escola de interesse;
  • Proximidade entre endereço residencial e escola;
  • Maior idade.

Período de inscrições: de 19/07 a 31/07.

Acesse o site: https://www.bolsadopovo.sp.gov.br/.

Previsão de início dos trabalhos: 16/08/2021.

Valor do auxílio: R$ 500 por trabalhador.





Fonte: Fonte: R7