Escolas no ES mudam sinais sonoros de intervalos de aulas para músicas populares para não incomodar alunos autistas




Em Vila Velha, na Grande Vitória, essa regra agora virou lei e as escolas têm até o início do ano letivo de 2024 para se adequarem. Escola troca alarme por música suave para evitar incômodos a alunos autistas
O sinal que toca nas escolas dá uma sensação nostálgica em muita gente. Mas o barulho alto e estridente também incomoda algumas pessoas, como os alunos autistas. Pensando nisso, Vila Velha, na Grande Vitória, criou uma lei em que todas as sirenes das escolas públicas e privadas da cidade precisam ser trocadas por sinais sonoros que causem menos desconforto aos estudantes. A ideia é substituir por músicas populares e até clássicas.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
A rede municipal da cidade tem quase 2.200 alunos diagnosticados com autismo. As escolas têm até o início do ano letivo de 2024 para se adequarem, mudando os sinais dos intervalos das aulas e recreio.
Numa das escolas em que o projeto já foi implementado, as crianças entraram e saíram do intervalo ouvindo “Andar com fé”, do cantor Gilberto Gil. A ideia é colocar músicas mais calmas que não causem desconforto nos alunos.
📲 Clique aqui para seguir o canal do g1 ES no WhatsApp
Na escola municipal José Siqueira Santa Clara, que fica no bairro Ataíde, o sinal via ser desativado e o novo é bem mais tranquilo para Pedro, que é autista e tem sete anos. Geralmente, por causa do barulho, ele usa um abafador.
“Barulho sínico incomodava muito. Às vezes, ele podia até entrar em crise. Então, o abafador acaba ajudando bastante. Agora com o novo sinal que vai ter, não vai precisar usar tanto”, explicou a mãe do Pedro Henrique, Márcia Rosa da Silva.
Escolas em Vila Velha mudam sinais sonoros para músicas brasileiras e sons mais leves
Reprodução/TV Gazeta
As mães já puderem perceber a diferença dos novos sinais para os filhos.
“Quando ele chega aqui na escola não muito bem e tem a musiquinha dá uma relaxada, uma calmada. Ele já chega em casa diferente, contando tudo o que aconteceu. E, assim, é uma alegria porque sempre tem uma musiquinha nova e é cultura para eles também”, contou a mãe Thays Souza.
As músicas tocam dez vezes por turno, e tem uma para cada momento: para a chegada dos alunos, na troca dos professores, no recreio e para a volta para a sala de aula. A trilha sonora varia de artista, mas na maioria das vezes são músicas populares brasileiras.
“‘Nós temos um mural com as letras de todas as músicas, o nome do compositor e o intérprete de cada música. Então, as crianças estão passando no corredor, elas pegam e leem. Isso também incentiva a leitura”, explicou o professor e pedagogo Luiz Gustavo Luz.
Alarme barulhento das escolas incomodava muitos alunos
Reprodução/TV Gazeta
O professor foi quem desenvolveu os novos sinais. Foram dois meses de pesquisa buscando experiências pelo Brasil até conseguir um som mais adequado para a escola.
“Nós usamos inteligência artificial no nossos sinal. Durante as aulas, além da música, é emitido um sinal sonoro de cuco e ele fala a hora. E outras atividades que acontecem no dia a dia também são narradas”, comentou o professor.
A primeira escola a implantar a novidade tem pelo menos 20 alunos autistas.
“A gente gostaria que espalhasse para todas as escolas, que todas as escolas pudessem fazer isso”, relatou a diretora da unidade, Letícia Maria Aparecida.
As músicas que são tocadas ficam espalhadas pelos corredores das escolas para alunos saberem as letras
Reprodução/TV Gazeta
Segundo a secretária municipal de Educação de Vila Velha, Letícia Maria Aparecida, cada descola vai fazer as adequações necessárias para funcionamento de acordo com a necessidade do bairro.
A criançada aprovou a mudança do sinal e até dança quando escutam a musiquinha.
“É mais divertido. Todo mundo da minha sala fica dançando quando começa a tocar”, disse a estudante Maria Vitória Calixto, de 9 anos.
Crianças aprovaram as mudanças dos novos sinais
Reprodução/TV Gazeta
VÍDEOS: tudo sobre o Espírito Santo
Veja o plantão de últimas notícias do g1 Espírito Santo



G1 Educação