Encceja 2020: prazo para pedir reaplicação é prorrogado até sábado | Educação

0
11


Os candidatos que tiverem o pedido de reaplicação aprovado farão o exame nos dias 13 e 14 de outubro.

Podem pedir a reaplicação s candidatos que

  • estavam com sintomas de Covid ou de alguma das outras doenças infectocontagiosas previstas no edital
  • enfrentaram problemas logísticos como desastres naturais ou erros de aplicação

As solicitações são feitas por meio do sistema Encceja. Veja mais detalhes abaixo.

Para fazer o pedido de reaplicação por doença, é preciso acessar o Sistema Encceja, preencher a solicitação e apresentar um documento legível que comprove que o candidato tinha sintoma de covid ou de alguma das doenças infectocontagiosas que permitem a reaplicação (veja lista abaixo).

Esse documento precisa informar

  • nome completo do participante,
  • diagnóstico com a descrição da condição,
  • código da enfermidade de acordo com a Classificação Internacional de Doença (CID-10),
  • assinatura e da identificação do profissional que realizou o diagnóstico, com o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) ou de outro órgão competente.

O documento precisa ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Outras doenças infectocontagiosas ainda garantem o direito de pedido de reaplicação do exame. São elas:

  • coqueluche
  • difteria
  • doença Invasiva por Haemophilus Influenza
  • doença Meningocócica e outras meningites
  • varíola
  • influenza humana A e B
  • poliomielite por poliovírus selvagem
  • sarampo
  • rubéola
  • varicela

O pedido de reaplicação por problemas logísticos pode ser feito por participantes que enfrentaram problemas como

  • Desastres naturais
  • Falta de energia elétrica
  • Erro na aplicação por parte do aplicador que cause prejuízo ao participante.

Os casos são analisados individualmente.

Para que serve o Encceja?

O Encceja é um exame gratuito, de participação voluntária, destinado a jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino.

As provas avaliam os conhecimentos dos candidatos em áreas pré-determinadas e, diferente de um vestibular, não classifica os participantes em número de aprovados, pois todos que atingirem a pontuação mínima são considerados aprovados. Com a aprovação, o aluno pode conseguir um certificado que serve como diploma e garante a conclusão do grau, seja do ensino fundamental ou médio.

Na prática, isso significa que alunos que têm no mínimo 15 anos completos para o ensino fundamental e no mínimo 18 anos completos para o ensino médio, na data de realização do Exame, podem fazer a prova e “concluir” o nível de ensino sem precisar passar pelas séries regulares.

Assim, o aluno que conseguir a certificação de conclusão de ensino fundamental pode ingressar no ensino médio e aquele que for certificado quanto a conclusão do ensino médio, se assim desejar, pode ingressar no ensino superior.

Até 2017, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) servia para dar certificado do ensino médio, mas desde a edição de 2018 ele perdeu esta função.

Ao todo, estão confirmados neste ano 1.630.046 participantes.

  • A maioria (1.328.608) fará a prova para obter certificado do ensino médio e tem mais de 18 anos.
  • Outros 301.438 farão provas para a proficiência do ensino fundamental e têm mais de 15 anos.

Como é um exame de proficiência, ou seja, mede os conhecimentos adquiridos em cada área, é possível pensar a prova em módulos separados. O candidato pode, em uma edição, ter nota suficiente para obter certificado em história e, no ano seguinte, fazer as demais onde não pontuou o mínimo necessário. Cabe a ele selecionar no ato da inscrição os campos de conhecimento nos quais ainda não tem certificado.

São quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha. O exame também inclui uma redação de até 30 linhas. O modelo é de texto dissertativo-argumentativo, o mesmo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

As provas para certificado do ensino fundamental são:

  • ciências naturais;
  • matemática;
  • língua portuguesa, língua estrangeira, artes e educação física;
  • história e geografia;
  • redação.

No ensino médio, são provas de:

  • ciências da natureza e suas tecnologias;
  • matemática e suas tecnologias;
  • linguagens, códigos e suas tecnologias;
  • ciências humanas e suas tecnologias;
  • redação.

Para obter o certificado, o participante deverá atingir no mínimo 100 pontos em cada uma das provas, em uma escala de 60 a 180. Na redação, é preciso ter nota igual ou acima de 5.

Aqueles que quiserem se preparar para o exame pode acessar as provas das edições anteriores no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).



Fonte: Fonte: G1