Diretor do Inep responsável pelo Enem é exonerado do cargo  – Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp



O governo exonerou nesta terça-feira (25) o diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Anderson Soares Furtado Oliveira. Ele estava à frente da organização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) havia oito meses. 


A exoneração, a pedido, foi publicada  DOU (Diário Oficial da União). A cadeira de Anderson será ocupada por Michele Cristina Silva Melo, que era diretora de Estudos Educacionais do órgão. 


Em novembro de 2021, o ex-diretor se solidarizou com os servidores que pediram demissão de cargos comissionados no Inep. Em ofício, Anderson solicitou valorização dos funcionários e afirmou que a alta gestão do Inep não fornecia “condições para os servidores e colaboradores trazerem excelência nessas entregas”.



O órgão viveu uma crise institucional no ano passado. Duas semanas antes da realização do Enem, 37 funcionários pediram demissão. Em carta, eles alegaram “assédio moral” e falta de gestão técnica do presidente do instituto, Danilo Dupas


A Assinep (Associação de Servidores do Inep) chegou a reunir as denúnicas em um documento de 36 páginas entregue a oito órgãos e instâncias. No relatório, os servidores afirmam que “o Inep vive uma crise política sem precedentes, com perseguição aos servidores, assédio moral, uso político-ideológico da instituição pelo MEC e falta de comando técnico no planejamento dos seus principais exames, avaliações e censos”.



Oliveira compunha o quadro de servidores do Inep desde 2013. No Instituto, o pesquisador já havia ocupado o cargo de gerente de projetos, quando contribuiu para a modernização da gestão organizacional, além de ter atuado no Programa de Produção Estatística Educacional, que tinha a finalidade de transformar o processo de produção estatística dos censos da Educação Básica e da Educação Superior, em alinhamento com as melhores práticas internacionais em estatísticas oficiais previstas no Generic Statistical Business Process Model (GSBPM).


Também foi assessor de Gestão no Gabinete da Presidência e atualmente era coordenador-geral do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), função que exercia desde abril do ano passado.



Fonte: Fonte: R7