Benefício dá descontos na conta de luz; Saiba se você tem direito

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Tarifa Social de Energia Elétrica, benefício social que pode dar descontos de até 100% na conta de energia elétrica.

O Governo Federal possui diversos benefícios para as pessoas em condições de vulnerabilidade social, sendo um deles a Tarifa Social de Energia Elétrica. Especificamente, esse benefício funciona por meios de descontos que são dados de acordo com o consumo mensal de cada família, podendo chegar até 100%. Entenda mais sobre esse desconto na conta de energia elétrica e confira os requisitos para ter direito a ele!

Leia mais: Saiba qual eletrodoméstico é o MAIOR vilão da sua conta de luz

Como o benefício funciona?

A Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) foi criada pela Lei n° 10.438, de 26 de abril de 2002 e visa beneficiar famílias com baixa renda. A conta de energia elétrica pode ter sua tarifa reduzida em até 65%, mas para Indígenas e Quilombolas, essa redução pode chegar até 100%. Confira:

           1. Consumidores da subclasse Residencial Baixa Renda

  • Isenção do custeio da Conta de Desenvolvimento Energético – CDE
  • Isenção do custeio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica – Proinfa.

Além dessas isenções, descontos também podem ser aplicados no consumo mensal, veja como:

  • Consumo de até 30KWh – 65% de desconto;
  • 31 KWh a 100 KWh – 40% de desconto;
  • 101KWh a 220 KWh – 10% de desconto.

           2. Quilombola e Indígena que atendem aos requisitos

Descontos aplicam-se em casos em que o consumo mensal varia:

  • De 0 a 50 KWh – 100% de desconto;
  • 51 kWh a 100 kWh – 40% de desconto;
  • De 101 kWh a 220 kWh – 10% de desconto.

Quais os requisitos?

Para ter direito aos descontos na conta de energia elétrica é preciso satisfazer um dos seguintes requisitos:

  • A família deve estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo; ou com renda mensal de até 3 (três) salários-mínimos, que tenha portador de doença ou deficiência que precise do uso continuado de aparelhos ou equipamentos elétricos;
  • Pessoas com deficiência, que recebam o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC, nos termos dos arts. 20 e 21 da Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993.

Também é importante informar que as pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) já estão inclusas na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), mesmo não sendo o titular da conta de energia. Além disso, a concessão desse benefício é por família (ou Unidade Consumidora) e o endereço precisa estar dentro da área da distribuidora de energia.

Fonte: Fonte: R7