a geração menos feliz no trabalho

A Geração Z, composta por indivíduos nascidos entre meados dos anos 1990 e meados dos anos 2000, vem enfrentando crescentes desafios no mercado de trabalho, levando a um sentimento de insatisfação profissional. Essa geração, que cresceu imersa na era digital e em um mundo globalizado, possui expectativas e valores diferentes em relação ao trabalho se comparada às gerações anteriores.

Estudo: Felicidade x Trabalho

Um novo estudo realizado pela Cangrade, uma solução de contratação baseada em IA, teve como objetivo descobrir como cada geração se sente em relação à felicidade no trabalho e por quê. A pesquisa online contou com a participação de 608 pessoas de quatro gerações: baby boomers, geração X, millennials e geração Z.

A pesquisa teve como objetivo avaliar as atitudes e valores dessas gerações no ambiente de trabalho nos Estados Unidos. Os resultados revelaram que, embora as três gerações mais antigas tenham taxas de felicidade semelhantes, a Geração Z é a geração menos feliz no trabalho.

Os dados revelam que 26% dos Gen Zers não estão felizes em seus trabalhos e 17% estão considerando seriamente a possibilidade de sair do emprego atual. Isso pode estar relacionado ao fato de que essa geração é a mais jovem na força de trabalho e, portanto, ocupa principalmente cargos de nível básico.

 

 

Além disso, a Geração Z é conhecida por ser altamente conectada e informada, o que também molda suas expectativas em relação ao trabalho. Eles anseiam por ambientes colaborativos, flexíveis e tecnologicamente avançados, onde possam expressar suas ideias e contribuir significativamente para a empresa. Contudo, nem sempre encontram espaços que atendam a essas expectativas, gerando frustração e descontentamento.

O estudo mostra que os valores são cruciais para a felicidade de cada geração no trabalho e que esses valores variam entre as gerações. A Geração X e a geração do milênio valorizam sentir orgulho do trabalho que fazem para serem felizes no trabalho.

Por outro lado, os baby boomers tendem a achar que seu trabalho é fundamental para sua identidade geral e valorizam o sentimento de serem ouvidos no ambiente de trabalho.

Já a felicidade no trabalho para a Geração Z está diretamente relacionada ao quão apaixonados eles são pelo que fazem. A afirmação que mais se correlacionou com a felicidade no trabalho dessa geração foi “Meu ambiente de trabalho traz o melhor de mim”.

Esses são alguns dos principais destaques da pesquisa:

Os valores são naturalmente diferentes de uma geração para outra e essa diferença pode ser um desafio para os empregadores atenderem a todos. Esse desafio é ainda maior quando se trata da Geração Z.

Para reverter esse quadro de insatisfação, é importante que as empresas reconheçam as necessidades e expectativas da Geração Z, adaptando-se para oferecer ambientes de trabalho mais humanizados, flexíveis e com foco em propósito e impacto social. Ao fazer isso, as organizações não só conseguirão atrair e reter talentos dessa geração, mas também promoverão um ambiente laboral mais saudável e satisfatório para todos os colaboradores.

Fonte: Fonte: R7