Xiaomi consegue vitória na Justiça contra proibição de investimentos nos EUA | Tecnologia

0
12


A fabricante de celulares Xiaomi deve ser retirada temporariamente de uma lista de supostas “companhias militares”, que teriam ligações com o governo da China, decidiu um juiz federal dos Estados Unidos na última sexta-feira (12). Com isso, estão suspensas as restrições de investimentos americanos.

Apenas seis dias antes do fim de seu mandato, o ex-presidente dos EUA Donald Trump proibiu que pessoas e organizações americanas mantivessem ações da Xiaomi e de mais 8 empresas chinesas e ordenou a venda de participações até novembro de 2021.

Os departamentos da Defesa e do Tesouro, que incluíram Xiaomi na lista mencionada, “não comprovaram que os interesses de segurança nacional estavam envolvidos”, disse o juiz Rudolph Contreras em uma decisão obtida pela AFP.

A decisão do juiz tem caráter liminar, mas a companhia afirmou em um comunicado que buscará a remoção permanente da proibição de investimento.

Em seu recurso apresentado em janeiro contra sua inclusão nessa lista, a fabricante de celulares afirmou que a decisão foi “incorreta” e que “a empresa foi privada do devido processo”.

A Xiaomi é uma das maiores fabricantes de celulares do mundo, segundo um levantamento da consultoria IDC – a marca é a 3ª em participação de mercado global, atrás da Samsung e Huawei.

No ano passado, a Justiça dos EUA suspendeu temporariamente a proibição de downloads do aplicativo TikTok e WeChat.

Por outro lado, companhias chinesas como as fornecedoras de equipamentos de telecomunicações Huawei e ZTE estão restritas por serem consideradas ameaças para a segurança nacional.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui