Venda legal de cannabis no mercado mundial atinge US$ 21,3 bilhões em 2020 | Economia

0
16


O mercado mundial de cannabis legal atingiu um patamar de vendas de US$ 21,3 bilhões em 2020, um aumento de 48% em relação ao ano anterior. Os dados são da consultoria especializadas BDSA.

Os resultados no ano da pandemia do coronavírus surpreenderam os especialistas. Em 2019, as vendas de maconha legal acumularam faturamento de US$ 14,4 bilhões. Com o crescimento visto em 2020, a BDSA agora estima uma taxa média de crescimento para o mercado da ordem de 17% ao ano, o que levaria o faturamento aos US$ 55,9 bilhões em cinco anos.

“A indústria da cannabis enfrentou vários desafios nos últimos anos, nenhum tão potencialmente disruptivo quanto a pandemia de coronavírus em 2020. Nossa previsão anterior era conservadora com base nas consequências econômicas esperadas da pandemia, mas a indústria não apenas sobreviveu, ela prosperou e a cannabis legal ganhou terreno considerável”, disse Micah Tapman, CEO da BDSA, em nota.

Mercados onde a cannabis legal tem alguma tradição colheram aumentos mais vigorosos. Nos Estados Unidos, maior mercado do setor, as vendas chegaram a US$ 17,5 bilhões, aumento de 46% em relação ao ano anterior. Destaques foram o estado do Oregon, que cresceu 39%, e Colorado, 26%.

O Canadá teve crescimento de 61% em 2020, para mais de US$ 2,6 bilhões. O país foi beneficiado por nova regras governamentais que liberaram também a venda de produtos derivados, como comestíveis à base de cannabis.

Todo o restante do mercado mundial contribuiu com apenas US$ 1,1 bilhão. A expectativa da consultoria é que esse segmento chegue a US$ 8,6 bilhões em cinco anos.

“Os mercados médicos e de uso adulto lançados em 2019 e 2020 contribuíram com US$ 1,6 bilhão em gastos em 2020: US$ 422 milhões em médicos e quase US $ 1,2 bilhão em adultos. Cinco novos mercados dos EUA legalizaram a cannabis medicinal ou para uso adulto durante as eleições de 2020: Arizona, Mississippi, New Jersey, Montana e South Dakota”, diz nota da BDSA.

Segundo a consultoria, os dados refletem as previsões legais do mercado de cannabis. As previsões de mercado de CBD (derivados de maconha ou cânhamo) são medidos à parte.

Anvisa nega pesquisa com cannabis à Unicamp
Anvisa nega pesquisa com cannabis à Unicamp

Anvisa nega pesquisa com cannabis à Unicamp



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui