Twitter libera pedido de verificação de contas após ‘pausa’ de 3 anos | Tecnologia

0
9


O Twitter começou a liberar nesta quarta-feira (20), após mais de 3 anos de suspensão, o formulário para solicitação de verificação de contas, que coloca um selo azul ao lado do nome do usuário.

Segundo a plataforma, o selo azul “é uma forma de ajudar as pessoas a identificar contas autênticas de grande interesse público”.

Embora qualquer usuário possa fazer o pedido de verificação, é preciso que a conta se encaixe em uma de seis categorias:

  • poder público;
  • empresas, marcas e organizações sem fins lucrativos;
  • jornalismo;
  • entretenimento;
  • esportes;
  • ativistas e outros indivíduos influentes;

O critério mínimo para a verificação é ter um perfil completo, com nome, foto e imagem de capa configuradas, além de endereço de e-mail confirmado ou número de telefone.

A conta também não pode ter infringido as regras de comunidade nos últimos 12 meses.

Cada uma das categorias possui regras específicas para que o Twitter conceda o selo. A rede social disse que ampliará a lista para cientistas, acadêmicos e líderes religiosos nos próximos meses.

A pessoa precisa provar que é ligada a uma instituição indicando um link em que o nome e biografia dela estejam presentes, por exemplo. Os detalhes estão em uma página de suporte.

Os pedidos de verificação na rede social foram pausados em 2017, quando a plataforma foi alvo de críticas por ter dado o selo azul para contas de auto-proclamados supremacistas brancos.

Em 2018, a companhia anunciou a retirada do formulário por tempo indeterminado. Desde então, algumas contas eram verificadas pela rede social, mas não havia a opção de algum usuário solicitar o selo – as seleções eram feitas pela própria equipe do Twitter.

Atualmente, cerca de 360 mil contas na rede são verificadas.

Como pedir a verificação do perfil?

Para solicitar o selo azul do Twitter é preciso ir até o menu “Configurações e privacidade” e selecionar a opção de verificar a conta.

A plataforma irá pedir para o usuário contar quem ele é e adicionar informações que ajudem a empresa a confirmar a identidade.

A confirmação pode ser um link que mostre que uma pessoa é ligada a determinada organização governamental, veículo de imprensa ou time de futebol, por exemplo.

Telas para o pedido de verificação de conta no Twitter. — Foto: Divulgação/Twitter

O processo pode demorar entre 1 e 4 semanas, segundo o Twitter. O resultado da avaliação é enviada por e-mail.

Se um usuário aceitar o resultado, poderá pedir o selo novamente em 30 dias. Não há limite para pedidos de reconsideração.

Em coletiva de imprensa virtual, B Byrne, gerente de produtos da plataforma, disse que a avaliação é feita por moderadores humanos e que há apenas um pequeno auxílio de ferramentas automatizadas. Em 2017, quando a verificação foi pausada, ela também era conduzida manualmente.

Identificação de bots e aba ‘Sobre’ para perfis

O Twitter também anunciou que está trabalhando em uma maneira de classificar contas automatizadas.

Um pequeno selo seria adicionado abaixo do nome do perfil para indicar que se trata de um “bot”, configurado para fazer posts na rede social sem intervenção humana direta.

O recurso vai ser opcional para os criadores da conta e servirá para identificar perfis como o @DolarBipolar, que tuita sobre variações na moeda americana, ou o @RosieDaSerenata, que analisa e identifica suspeitas em gastos de deputados federais em exercício de sua função.

Aviso abaixo do nome de usuário vai identificar conta automatizada no Twitter. — Foto: Divulgação/Twitter

Bots que tentam se passar por usuários comuns não receberão o selo – esse tipo de conta é proibida pelos termos da rede social.

O recurso deve chegar em algum momento de julho no Twitter. A empresa também trabalha em selos que identifiquem perfis memoriais, para pessoas que faleceram, e outro para contas satíricas.

A página de perfil da plataforma também ganhará novidades no futuro. A rede social disse que trabalha em uma aba “Sobre” para que as contas adicionem informações sobre si – além do nome, biografia, localização e aniversário.

A companhia disse que ainda está em estágio inicial do recurso e não tem previsão para lançá-lo.





Fonte: G1