Temores com lockdown em Pequim provocam maior queda das ações chinesas em 2 anos | Economia


O mercado acionário da China registrou nesta segunda-feira (25) a maior queda desde fevereiro de 2020, devido às preocupações com o surto de Covid-19 no país e temores em relação às restrições adotadas na capital, Pequim, e os impactos na inflação e no crescimento global.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 4,94% no dia, enquanto o índice de Xangai teve queda de 5,13%. Ambos os índices apagaram os ganhos feitos desde a promessa feita em 16 de março pelo vice-premiê, Liu He, de sustentar a economia e os mercados financeiros.

Na Europa, as bolsas operam em queda. Já os preços do petróleo caíram mais de 4% nesta segunda-feira.

“Como a China é a segunda maior economia do mundo, essa situação tem um efeito direto no mercado de commodities”, destacou Walid Koudmani, analista da XTB.

A demanda chinesa por certos tipos de combustível – gasolina, diesel e querosene de aviação – já caiu 20% em abril de 2022 em relação ao ano anterior, informa a Bloomberg, citando fontes do ministério da Energia chinês.

As ações de Hong Kong tiveram nesta segunda-feira a maior perda em seis semanas. O índice Hang Seng index caiu 3,73%, enquanto o China Enterprises Index perdeu 4,1%.

O iuan também caiu para mínima de um ano contra o dólar, ampliando as perdas depois de registrar a pior semana desde 2015. A piora do cenário de crescimento econômico provocou preocupações entre investidores de que a moeda pode enfraquecer ainda mais.

O temor de um confinamento severo levou muitos moradores de Pequim a fazer compras de emergência, enquanto grandes filas eram observadas no distrito central da capital para testes de covid ordenados pelas autoridades chinesas.

Ao mesmo tempo, a China tenta conter uma onda de contágios na maior cidade do país, Xangai, onde quase 25 milhões de habitantes estão em confinamento há várias semanas. O ministério da Saúde informou nesta segunda-feira 51 mortes por covid-19 na capital econômica do país, um recorde para a cidade.

Homem com traje de proteção contra a Covid, em rua isolada de Xangai — Foto: Jacqueline Wong/Reuters

Veja o fechamento das principais bolsas da Ásia:

  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 3,73%, a 19.869 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 5,13%, a 2.928 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 4,94%, a 3.814 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,76%, a 2.657 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 2,37%, a 16.620 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,64%, a 3.339 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 permaneceu fechado.



Fonte: G1