Startup faz o registro autoral de obras artísticas em 5 minutos | Pequenas Empresas & Grandes Negócios

0
28


O registro autoral oficial é feito pela Biblioteca Nacional e esbarra na burocracia: entre envio da papelada e a resposta. Tudo chega a levar 6 meses e a Biblioteca não faz registro digital.

Para derrubar o tempo de registro, a plataforma criada por Caroline, lançada em 2020, usa o blockchain. Dessa forma, os dados não ficam armazenados em um só local. Ela cria uma grande cadeia de blocos de informações, o que torna o armazenamento mais seguro. Assim, os direitos estarão registrados e protegidos em mais de 170 países.

A Associação de Direito Autoral informa que é permitido o registro em blockchain. E a advogada especialista em propriedade intelectual, Julieine Nascimento, diz que o método é eficaz e reconhecido juridicamente.

A startup faz uma média de 200 registros por mês. O faturamento mensal é de cerca de R$ 10 mil.

Veja a reportagem completa no vídeo acima.



Fonte:G1