Republicanos dos EUA barram debate sobre projeto de infraestrutura no Senado

0
12


Por Susan Cornwell

WASHINGTON (Reuters) – Senadores republicanos bloquearam um movimento para abrir o debate na quarta-feira sobre um projeto bipartidário de infraestrutura de 1,2 trilhão de dólares que é uma das principais prioridades do presidente democrata Joe Biden, mas o Senado está pronto para retomar a discussão já na segunda-feira.

Os republicanos se opuseram à abertura do debate sobre o projeto de lei porque ele ainda não foi redigido, embora não seja incomum para a Casa votar o esqueleto de um projeto de lei para avançar com o processo legislativo.

Cinquenta e um senadores votaram contra a abertura do debate depois que o líder da maioria democrata Chuck Schumer mudou seu voto para “não” de “sim” no último minuto, dizendo que isso permitiria que ele, de acordo com as regras do Senado, reconsiderasse a votação no futuro. As regras do Senado exigem 60 votos para fazer avançar a maioria dos projetos.

O senador Rob Portman, o principal republicano do grupo bipartidário que desenvolveu o plano, disse que 11 republicanos assinaram uma carta a Schumer dizendo que estariam dispostos a votar “sim” na próxima semana.

Eles esperam ter resolvido os problemas pendentes com a proposta até então, incluindo como pagar por ela.

“Vamos votar não hoje porque não estamos prontos, mas estamos dizendo que queremos aceitar esse projeto assim que estivermos. Achamos que será segunda-feira”, disse Portman antes da votação.

Em um comunicado, o grupo bipartidário disse que está perto de um acordo final sobre o projeto, que inclui 600 bilhões de dólares em novos gastos em estradas, pontes e outras obras de infraestrutura.

Schumer havia insistido em realizar a votação de procedimento na quarta-feira, dizendo que depois de semanas de discussão de detalhes da proposta, era hora de começar a debater a medida no plenário do Senado.

Alguns democratas disseram acreditar que os republicanos estão deliberadamente retardando uma medida que eles podem acabar votando contra.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6K1C7-BASEIMAGE










Fonte: Mix Vale