Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo | Nosso Campo

0
25


Pomar de figo é algo incomum de ser visto no interior paulista. Isso porque a fruta gosta de clima temperado e acaba se desenvolve bem somente em poucos lugares do estado. Itapetininga (SP) é um desses lugares. Lá o produtor rural Daniel Nache decidiu apostar no cultivo. São cerca de mil pés da fruta.

A colheita costuma começar no fim de dezembro e vai até maio. Por ser uma fruta delicada, é preciso bastante cuidado para retirar cada uma do pé. Por isso, nada de máquinas na roça, o trabalho é todo manual. Para conseguir uma fruta mais doce, Daniel explica que o ideal é deixar o figo mais tempo no pé.

O pomar tem 13 anos, mas atualmente o produtor tem enfrentado um desafio: o ataque de nematoides, que são vermes pequenos que vivem no solo e que comprometem o desenvolvimento das plantas.

(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 28/02/2021)

Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo
Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo

Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo

Para evitar o uso de nematicidas, ele investe na nutrição da raiz das plantas. A boa adubação diminui o impacto causado pelos vermes.

Outro problema tem sido a ferrugem, principal doença que ataca as figueiras. A solução encontrada pelo produtor é aplicar calda bordalesa nas folhas. O pó branco é uma mistura de cal com sulfato de cobre. A calda também ajuda a dar mais resistência e durabilidade para a pele do figo.

Os frutos novos levam 90 dias pra chegar ao ponto de colheita. Nos últimos meses, o preço dos insumos subiu, elevando bastante o custo de produção. A caixa, que antes era vendida a R$ 15, hoje custa R$ 20.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui