Produtor paulista tem mais de 3 mil pés de seriguela | Nosso Campo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A seriguela, também chamada de cajá vermelho e ameixa da Espanha, tem a sua origem na América tropical. É uma fruta docinha e que tem tudo a ver com o clima do Brasil, embora seja mais comum no nordeste. A seriguela é uma planta perene, de fácil manejo e que não precisa de muita irrigação.

A safra da seriguela dura de três a quatro meses e vai até o começo de junho, tendo fruta madura todos os dias. Depois disso, é um período em que normalmente já não tem mais muita seriguela disponível. 95% dos pés de seriguela são da variedade doce. O restante é da azedinha, que é indicada para produção de suco, sorvetes e geleias.

Afonso Peche, pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (SP) e especialista em solo, conta que, com o tempo, o solo vai adquirindo equilíbrio, com propriedades físicas, químicas e biológicas. Isso faz com que a planta tenha um ótimo desempenho fisiológico, não gastando energia para se estabelecer.

Quando o solo está nesse ponto, o desenvolvimento da planta fica espetacular, com folhas de diferentes cores, pés carregados e que podem chegar a até sete metros de altura.

(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 27/03/2022)

Produtor paulista tem mais de 3 mil pés de seriguela

No pomar da família Lósqui, localizado na região de Jundiaí (SP), tem três mil pés. Os primeiros foram cultivados dez anos atrás. Para eles, estar a cerca de 50 quilômetros de São Paulo, o maior mercado consumidor do Brasil, é uma vantagem.

A produtividade média nos pés adultos tem chegado a 100 quilos. Na safra passada, foram colhidas 30 toneladas. Este ano, a previsão é alcançar 50 toneladas. Um aumento que tem a ver com o início da produção dos pés novos e com a ajuda do clima.

O preço da bandeja de 450 gramas para o produtor oscila de R$ 8 a R$ 10, podendo chegar até a R$ 20 quando há menos oferta no mercado.

VÍDEOS: veja as reportagens do Nosso Campo



Fonte: G1