Poupança por assinatura é opção para quem não consegue juntar dinheiro

0
19


A poupança por assinatura já é um serviço à disposição do público. Isso mediante adesão por assinatura por meio do site da Monis, que em breve também ganhará um aplicativo.

Leia também: PagSeguro Pagbank: CDB rende 200% do CDI, mais que o dobro da poupança

Os interessados devem acessar o site e fazer um cadastro com seus dados pessoais e os dados do seu cartão de crédito.

Na sequência, o usuário escolhe o quanto ele quer poupar semanalmente. Os valores podem ir de R$ 25 a R$ 1.000. No final do mês, aparece na fatura do cartão de crédito os quatro pagamentos semanais feitos à Monis.

Cofundador da empresa, André Vilar disse que os clientes são questionados, ao se cadastrarem, sobre o “destino daquele montante”.

“Percebemos que as pessoas têm três sonhos principais: viagens de modo geral; comprar algo, como um celular, moto, reformar a casa; ou fazer uma reserva de emergência”, frisou.

E acrescentou que ao ter clareza sobre a razão pela qual está poupando, o cliente tende a se engajar mais com isso e até mesmo aumentar os aportes feitos.

Poupança

De acordo com Vilar, foi por isso que a fintech disponibilizou a possibilidade de os clientes fazerem depósitos extras por meio de transferência ou Pix.

“Percebemos que a partir de um ou dois meses usando a plataforma, as pessoas ficam tão empolgadas que querem guardar mais. Então usam o Pix para dar esse upgrade”.

Conforme o executivo, as pessoas tendem a começar usando a Monis guardando R$ 50 por semana, e afirma, no entanto, que após três semanas a maioria aumenta a quantia “assinada”.

Atualmente, o tíquete-médio dos aportes está na casa dos R$ 250 mensais, o que significa uma poupança de R$ 1.000 por mês.

CDB

Vilar explicou, ainda, que na prática o dinheiro pago pelo usuário vai para um CDB de liquidez diária. Ou seja, um produto de renda fixa do mercado financeiro em que o cliente está emprestando dinheiro para um banco.

No caso da Monis, o CDB escolhido foi um do PagBank, do grupo PagSeguro, que rende 100% do CDI (trocando em miúdos, o rendimento é colado ao da taxa básica de juros Selic).



Fonte: R7