Por que o WhatsApp cria um backup mesmo com a opção em nuvem desativada? | Blog do Altieres Rohr

0
13


Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para [email protected]. A coluna responde perguntas deixadas por leitores às terças e quintas-feiras.

WhatsApp faz cópia de segurança periodicamente. — Foto: Dado Ruvic/Reuters

Todos os dias meu WhatsApp faz backup após as 2 da manhã. Eu coloquei pra não fazer backup, então o que pode ser isso?

Acho que meu provedor de Internet faz alguma coisa com meu WhatsApp ou no celular todo, porque esses backups acontecem desde 2017. O que pode estar acontecendo? – Leonardo

Leonardo, cabe esclarecer um detalhe antes de responder sua dúvida: o seu provedor de internet não tem “poderes” para enviar comandos dessa natureza para o seu celular ou outro dispositivo.

A operadora de telefonia pode, sim, enviar alguns comandos para o celular. Mas são instruções relativas ao acesso à rede – informações que podem ser necessárias para garantir a conexão com a rede móvel e o recebimento de chamadas. Nada que possa controlar o WhatsApp a fazer um backup.

Agora, vamos à resposta.

Esse backup às 2 da manhã é um recurso normal e automático do WhatsApp. É um pouco confuso, mas esse backup não depende do backup em nuvem. No Android, ele será realizado sempre.

Backup ‘local’ do WhatsApp é realizado às 2 da manhã, independentemente do backup em nuvem. — Foto: Reprodução

É um tanto espantoso que o WhatsApp decida por conta própria fazer esses backups e não dê aos usuários uma forma de desativá-los.

E nem é só uma questão de privacidade: o WhatsApp pode ocupar centenas de megabytes com esses backups que nunca são usados.

Infelizmente, essa não é a única decisão “duvidosa” do WhatsApp no que diz respeito ao funcionamento do aplicativo. Mas vamos continuar no assunto do backup.

SAIBA MAIS SOBRE A POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO APP:

Seis perguntas sobre a nova política de privacidade do WhatsApp

Seis perguntas sobre a nova política de privacidade do WhatsApp

O backup obrigatório é chamado de “backup local”. O termo “local” nesse contexto significa que ele não é “remoto”. Ou seja, fica no seu próprio smartphone e não em um serviço da internet.

Ao contrário do backup em nuvem, que tem apenas os dados mais recentes, o backup local conta com arquivos separados para cada um dos últimos 7 dias.

Cada uma dessas cópias é integral – elas podem ser usadas para recuperar mensagens apagadas, por isso são consideradas “backup”.

Esses arquivos ficam na pasta “WhatsApp/Databases” no armazenamento do seu smartphone.

O WhatsApp “sugere” que esse backup local seja usado para que você transfira as mensagens do WhatsApp para um novo aparelho – da mesma forma que você usaria o backup em nuvem.

O processo para restaurar o backup é local não é muito refinado e exige que arquivos sejam copiados e renomeados manualmente. O WhatsApp tem um guia on-line que ensina a fazer isso.

A sugestão do blog é a seguinte: ignore esse recurso. Como ele não pode ser desativado, não vale a pena nem sequer apagar os arquivos de backup, pois eles serão criados novamente.

Se você ainda quiser apagar o backup, o WhatsApp recomenda a exclusão da pasta “Databases” dentro da pasta “WhatsApp”.

Vale ressaltar que o backup local não oferece nenhum ganho de conveniência em relação ao backup na nuvem e pouquíssimos benefícios de segurança, já que o backup local também pode ser usado para ler suas mensagens de forma indevida por uma pessoa que tiver acesso ao seu aparelho.

De todo modo, vale a pena saber que se trata de um recurso normal do WhatsApp e que o aplicativo não oferece opções para configurá-lo. Então, o backup sempre vai ocorrer no horário marcado.

No iPhone, além do iCloud, o backup do WhatsApp faz parte do backup completo do celular realizado por meio do iTunes.

Como esse recurso não existe no Android, o backup local é, de certa forma, um “substituto” para essa funcionalidade do iPhone.

Dúvidas sobre segurança digital? Envie um e-mail para [email protected]

Veja dicas para se manter seguro on-line



Fonte: G1