Política de vacinação é chave para recuperação econômica sustentável, diz diretora da OMC | Economia

0
12


“Nós temos uma escolha: ou convergimos para baixo, permitindo que o vírus nos arraste de volta para baixo, ou convergimos para cima, vacinando o mundo”, analisou a diretora.

Segundo Ngozi, não é aceitável que 58% das pessoas de países desenvolvidos estejam totalmente vacinadas, enquanto que em países de baixa renda esse percentual seja de apenas 1%, e até mesmo os profissionais de saúde da linha de frente tenham o acesso negado por falta de fornecimento.

Na avaliação da diretora, uma recuperação econômica e comercial sustentável só é possível quando a política de vacinas for acertada. De acordo com o FMI (Fundo Monetário Internacional), as economias avançadas crescerão 5,6% neste ano, ante apenas 3,9% para os países em desenvolvimento de baixa renda.

As projeções da OMC mostram uma tendência semelhante no comércio: Ásia, América do Norte e Europa estão no caminho para um crescimento comercial mais forte do que a África e a América Latina.

“80% das exportações mundiais de vacinas vêm de 10 países e a política de pandemia nos mostrou que isso pode ser problemático. A produção deve ser mais descentralizada para os mercados emergentes e países em desenvolvimento”, acrescentou a diretora.

De acordo com a OMC, um relatório está sendo elaborado para mostrar que investir US$ 50 bilhões antecipadamente na vacinação de 40% das pessoas em todos os países até o final deste ano, e pelo menos 60% no primeiro semestre de 2022, faria a produção econômica global aumentar em US$ 9 trilhões até 2025.



Fonte: G1