PF investigará suspeitas de fraude no leilão de arroz do Governo Federal


A Polícia Federal (PF) abriu uma investigação para apurar possíveis fraudes no leilão organizado pelo governo federal para a compra de arroz beneficiado. O edital do leilão foi anulado devido a suspeitas de irregularidades, e todo o processo passará por uma revisão rigorosa.

Edegar Pretto, presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), emitiu uma nota oficial informando que determinou à Corregedoria-Geral da estatal a abertura imediata de um processo de averiguação sobre todos os aspectos do leilão. Além disso, a Conab solicitou à Controladoria-Geral da União (CGU) e à Polícia Federal uma análise detalhada de todo o processo licitatório.

“Essas medidas têm como objetivo garantir toda a transparência neste processo, bem como prestar contas e dar a tranquilidade que a sociedade brasileira merece”, afirmou Pretto na nota.

O caso ganhou maior proporção com a revelação de que duas corretoras ligadas a um ex-assessor do ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, intermediaram a venda. As empresas vencedoras do leilão não possuíam expertise no setor agrícola uma era uma mercearia de bairro, outra uma fabricante de sorvetes e a terceira, uma locadora de carros.

Crítica leilão de arroz

PF investigará suspeitas de fraude no leilão de arroz do Governo FederalPF investigará suspeitas de fraude no leilão de arroz do Governo Federal
Compra direta de arroz pelo governo havia sido anunciada como uma estratégia para evitar a alta nos preços do produto após as enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul. Foto: Envato

O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, criticou a decisão, afirmando que não há “a mínima necessidade técnica” para a compra de arroz importado. Segundo ele, a produção nacional é suficiente para atender a demanda interna, tornando a importação desnecessária.

Ele menciona que houve um crescimento na produção e na extensão das áreas cultivadas no começo deste ano, o que conseguiu compensar as perdas da safra afetada no Rio Grande do Sul em 2023/24. Aproximadamente 85% da colheita já havia sido concluída antes dos eventos climáticos severos, resultando em uma perda estimada de apenas 15% na produção.

Demissão

O escândalo levou à demissão do secretário, que teve um papel crucial na aproximação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com o agronegócio durante a campanha de 2022.

A compra direta de arroz pelo governo havia sido anunciada como uma estratégia para evitar a alta nos preços do produto após as enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul, impactando a produção local. No entanto, as suspeitas sobre a capacidade técnica e financeira das empresas vencedoras levantaram sérias dúvidas sobre a integridade do processo.

PF investigará suspeitas de fraude no leilão de arroz do Governo FederalPF investigará suspeitas de fraude no leilão de arroz do Governo Federal
Devido às suspeitas, o edital foi anulado e ainda não há uma nova data prevista para a realização do leilão. Foto: Envato

Edegar Pretto confirmou que, devido às suspeitas, o edital foi anulado e ainda não há uma nova data prevista para a realização do certame. A Conab e as autoridades federais trabalham agora para garantir que os próximos passos do processo sejam conduzidos com a máxima transparência e rigor técnico, de modo a assegurar a confiabilidade das operações e a confiança da sociedade.

O setor agropecuário, um dos pilares da economia brasileira, aguarda com apreensão os desdobramentos da investigação e as medidas que serão adotadas para evitar que situações similares ocorram no futuro.



Portal Agro2