Petróleo fecha em alta expressiva na expectativa de redução de oferta

18



Rússia e Arábia Saudita sinalizam cooperação no mercado internacional Os preços do petróleo registraram volatilidade nesta sexta-feira (29) e fecharam o pregão em alta expressiva, no momento em que os agentes do mercado se mostram atentos a sinais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) quanto a uma redução ainda maior da oferta da commodity.
Na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo tipo Brent para entrega em agosto subiu 5,02%, para US$ 37,84. Já na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para julho avançou 5,28%, para US$ 35,49 por barril. No mês de maio, o WTI teve alta de 88% e o Brent exibiu avanço de 50%.
Depois do recrudescimento das tensões entre Estados Unidos e China impor queda aos preços do petróleo durante a manhã, a commoditie deu prosseguimento ao avanço observado neste mês e fechou em alta forte tanto em Londres quanto em Nova York.
Fábrica de refino de petróleo no Texas
Mark Felix/AFP
A queda no número de poços e plataformas de óleo em operação nos EUA contribuiu para a alta dos preços hoje, assim como a expectativa dos agentes com as reuniões da Opep de junho.
Em suas redes sociais, a embaixada russa no Reino Unido publicou na tarde desta sexta-feira que o presidente Vladimir Putin e o príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman, desenvolvem uma cooperação no mercado global de energia, o que inclui esforços conjuntos relacionados ao acordo da Opep+. Os sinais também deram apoio ao avanço dos preços do petróleo que, no início do dia, caíam mais de 2% diante de preocupações com a demanda.
“Os preços se normalizam após a pressão extrema observada em abril, quando os mercados lidaram com a falta de capacidade de armazenamento doméstico nos EUA”, afirma Rob Haworth, estrategista sênior de investimentos do U.S. Bank Wealth Management. “À medida que avançamos em maio, os preços expressaram alívio, tendo em vista que a produção diminuiu e a capacidade de armazenamento aumentou”, diz. Hoje, a Baker Hughes informou que 15 poços e plataformas de petróleo deixaram de operar nesta semana nos EUA e o total em funcionamento, agora, está em 222.


Fonte: G1