Pescadores afetados por seca no Pará receberão parcela extra do benefício


Os pescadores afetados por seca no oeste e no sul do Pará receberão uma parcela extra de seguro-defeso que será equivalente a dois salários mínimos (R$ 2.640).

A informação foi divulgada nessa quarta-feira (15/11) após uma reunião entre os ministros das Cidades, Jader Filho; da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes e o governador do Pará, Helder Barbalho.

Pescadores afetados por seca no Pará

Pescadores
Além da parcela extra do benefício, outra ação anunciada foi a homologação imediata do estado de emergência aos municípios que a pedirem. Foto: Envato

Os três ministros se reuniram para anunciar a articulação que ocorreu entre a União e o estado para enfrentar a estiagem provocada pelo fenômeno El Niño e pelo aquecimento da porção do Oceano Atlântico.

Na ocasião, os dois ministros e o governador anunciaram as medidas após realizarem uma visita técnica à comunidade ribeirinha de Igarapé de Praia, no município de Santarém, uma das áreas mais afetadas pela seca.

Além da parcela extra do benefício, outra ação anunciada foi a homologação imediata do estado de emergência aos municípios que a pedirem. Atualmente, 21 cidades do Pará estão em estado de emergência.

Auxílio aos pescadores

Pescadores
Atualmente 120 municípios enfrentam problemas associados à estiagem. Foto: Envato

No início de novembro deste ano, o governo federal tinha anunciado o pagamento do auxílio aos pescadores.

Já em relação às ações estaduais, o governador Helder Barbalho anunciou a continuidade da distribuição de cestas básicas e de água, o fornecimento de combustível às comunidades afetadas e a adoção do sistema simplificado de abastecimento de água comunitário.

Conforme o ministro Jader Filho, o governo federal liberou R$ 17,7 milhões a 13 municípios paraenses. no qual ainda prometeu nos próximos dias incluir mais quatro municípios e elevar os investimento em R$ 4,4 milhões.

Por sua vez, o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, disse que o valor a ser liberado pode chegar a R$ 25 milhões, por meio de ações articuladas da Defesa Civil e dos Ministérios da Saúde e da Pesca.

Ele também destacou que na Amazônia Legal, 120 municípios enfrentam problemas associados à estiagem e advertiu que o número pode subir.



Portal Agro2