Perrengues corporativos: perfil de humor dá lucro virando chamariz para anúncios de vagas | Empreendedorismo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


É emprego que você está procurando? Sua vaga pode estar em uma página de humor.

Criado em 2017 como uma página de humor corporativo, o perfil ‘festa da firma’ cresceu durante a pandemia – e passou a dar lucro aos criadores.

Atraídas pelo perfil jovem dos seguidores da página, grandes empresas passaram a pagar para anunciar suas vagas de emprego em posts descontraídos e irreverentes, voltados em sua maioria para programas de estágio e trainee.

Perfil @festadafirma no Instagram — Foto: Reprodução

Para os criadores, o perfil está sendo procurado por empresas que querem fugir do formato tradicional de anúncio de vagas e buscam maior engajamento com essa pegada de humor.

A página já divulgou ao redor de 1.500 vagas de emprego, que abrangeram cerca de 10% dos posts. Mas há meses em que 40% das publicações são referentes a anúncios de vagas. Entre as empresas que já divulgaram oportunidades no perfil estão Ambev, Oracle e Suzano.

“A gente sempre alerta o cliente sobre o algoritmo estar baseado em engajamento, então se eu coloco um post com cara de anúncio de vaga formal, as pessoas não vão curtir nem comentar, e aí automaticamente o Instagram vê que não está gerando esse engajamento e joga esse post lá para baixo. Por isso a importância de ser uma coisa sutil e leve, que converse com o conteúdo da página”, explica um dos criadores da página – eles preferem se manter anônimos.

Os criadores da página trabalham no mundo corporativo e se baseiam nele para compartilhar de forma bem humorada seu dia a dia, perrengues e desabafos.

“A essência da página é tornar o mundo corporativo mais leve e agradável. Passar o sentimento de que está todo mundo no mesmo barco. Independente do setor em que as pessoas trabalham, os perrengues são sempre os mesmos”, diz um dos fundadores do perfil.

Segredo é dosar publicidade e conteúdo

Mas os criadores garantem que o objetivo da página não é enchê-la de publicidade.

“A pessoa que entra na nossa página quer dar risada, se descontrair, e se colocar muita publicidade acaba perdendo esse engajamento, que sempre foi nosso forte. Por isso a gente conseguiu monetizar essa página desde os 200 mil seguidores, então eu diria que é sempre uma dosagem entre posts engraçados, uma enquete, às vezes um anúncio mais sério e alguns artigos relevantes. Então ela não é só uma forma de descontração, mas acaba também sendo de informação”, diz um dos fundadores.

Segundo ele, a página é basicamente composta de 50% de posts engraçados, 20% de anúncios e outros 30% de posts de artigos e reportagens que a equipe considera relevante no mercado de trabalho.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

De hobby a um negócio que dá lucro

De acordo com um dos fundadores, a previsão para 2022 é dobrar o faturamento de 2021, quando houve um salto na procura pelas empresas. Em 80% dos casos, são as companhias que procuram a página para anunciar, tanto as vagas de emprego como produtos e serviços.

“Mas é um negócio que a gente se diverte fazendo. Por isso a gente se desdobra para fazer porque todo mundo tem os seus respectivos trabalhos, então a gente está com uma jornada dupla, cada um na sua respectiva empresa e tocando também o festa da firma nas horas vagas”, diz.

Cada fundador da página é de uma área: tem CEO de startup, engenheiro de obra, especialista de marketing e consultor de multinacional. Essas quatro pessoas cuidam do perfil. Mas o dia a dia da página fica sob a responsabilidade de apenas uma pessoa. O restante faz o apoio no atendimento ao cliente, na parte contábil e financeira, em emissão de nota e em prospecção.

Segundo um dos criadores, hoje o faturamento que o perfil no Instagram gera com anunciantes já é superior ao de todos os fundadores em seus respectivos empregos e empresas.

“Mas ninguém pensa em abrir mão de seu próprio trabalho, porque hoje em dia a gente sabe que acaba sendo um risco muito grande só ter como frente de negócio uma página de Instagram, porque da noite para o dia pode mudar a plataforma, o algoritmo, pode passar a moda, então a gente não tem pretensão de largar os nossos empregos, até porque eles também servem de fonte de inspiração diária para fazer nossos posts”, afirma.

Veja abaixo alguns posts publicados na página:

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E arremata no comentário: “Não chore no horário comercial”, disse a gerente em webinar de gestão do tempo.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E arremata no comentário: “Agora é habeas corpus”.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E arremata com o comentário: “Preciso de um benefício dress code pra comprar roupas novas”.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E arremata com o comentário: “o pior dos dois mundos”.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E com o comentário do perfil: “E aí, dar um presentão pro chefe ajuda em algo?”

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

Com o comentário: “Vagas para estágio. Requisitos: 20 anos de experiência na área”.

Post do perfil do Festa da Firma — Foto: Reprodução

E arremata com o comentário: “Na maior parte das vezes, sem receber o salário dos outros”.

Post na página Festa da Firma — Foto: Reprodução

Com o comentário da página: “Morando no trabalho vc n perde tempo no trânsito eles disseram”



Fonte: G1