Perfis que compartilharem notícias falsas no Facebook podem ‘desaparecer’ do feed dos amigos | Tecnologia

0
17


O Facebook anunciou nesta quarta-feira (26) que os perfis que compartilharem frequentemente alegações falsas serão penalizados com alcance reduzido em todos os seus posts.

Os posts considerados falsos já são penalizados pelo algoritmo da rede social. Com a mudança, um perfil que compartilha esse tipo de conteúdo diversas vezes terá todas as publicações restritas.

Na prática, isso significa que um usuário pode aparecer menos para os amigos no feed de notícias.

A rede social considera conteúdo falso aquele que foi checado por um de seus parceiros após denúncias dos usuários. A iniciativa de avaliar os posts começou no Brasil em 2018.

O G1 perguntou ao Facebook quantos posts já foram avaliados no país e no mundo, mas a companhia não revelou o número.

A plataforma também não detalhou a partir de quantos conteúdos falsos compartilhados a penalidade passará a ser aplicada, alegando que isso poderia ajudar pessoas mal intencionadas a driblar seus sistemas.

O Facebook disse ainda que reformulou a notificação que avisa um usuário quando ele compartilhou um post que posteriormente foi considerado falso pelos parceiros.

O aviso vai incluir o link que detalha a checagem de fatos e um pedido para que a pessoa compartilhe esse material, além de explicar as punições para quem distribui alegações falsas.

As páginas que compartilham alegações falsas com frequência também serão penalizadas. A rede social vai exibir um aviso para os usuários quando eles forem curtir uma dessas páginas.

O conteúdo publicado por políticos não é submetido à checagem de fatos, segundo o Facebook. Isso vale para o que a rede social considera “discurso político” – caso essa pessoa compartilhe um link que já tinha um aviso de alegação falsa, o selo é mantido.

Exemplo do aviso, em inglês, quando alguém curtir página que compartilhou informações falsas. — Foto: Divulgação/Facebook

Ao G1, o Facebook disse que não irá apagar ou remover perfis e páginas que compartilham alegações falsas, mas diminuirá seu alcance e limitará funções como monetizar e fazer anúncios.

Outras plataformas, como o YouTube, possuem um sistema que pode bloquear a conta caso um usuário viole os termos de comunidade repetidas vezes.



Fonte: G1