Perdeu o prazo do PIS/Pasep 2021? Saiba como resgatar o retroativo

0
86


Mais de 460 mil trabalhadores podem não ter sacado parte dos R$ 300 milhões do abono salarial referente ao calendário 2020-2021, segundo a Caixa Econômica Federal. Isso porque o prazo final de resgate do cronograma, que segue o mês de nascimento do beneficiário, encerrou no dia 30 de junho deste ano.

Veja mais: Caixa informa sobre pagamentos de até R$ 700 pelo celular

Os pagamentos correspondentes ao ano-base 2019 começaram em 2020 e se estenderam até meados de 2021. Enquanto o PIS é pago pela Caixa para trabalhadores da iniciativa privada, o Pasep é repassado pelo pelo Banco do Brasil ao servidores públicos.

Leia mais: Mais de R$ 24 bilhões do PIS ainda estão disponíveis para saque

Trabalhadores que não efetuaram o saque até a data limite poderão resgatar os retroativos. No entanto, para isso, será preciso aguardar o início do próximo calendário do abono salarial, previsto para começar somente no mês de fevereiro de 2022. Todos os anos, o benefício atende cerca de 23 milhões de trabalhadores.

Qual o valor do abono e quem tem direito?

Como o valor do abono salarial muda conforme a atualização do salário mínimo, ainda não se sabe quais as quantias do próximo calendário. No entanto, em relação ao PIS/Pasep 2020-2021 o montante mínimo pago foi de R$ 92 e o máximo de R$ 1.100.

Tudo depende do período trabalhado formalmente, neste caso 2019. Tem direito ao valor total, ou seja, o equivalente ao piso nacional completo, quem trabalhar durante doze meses consecutivos de carteira assinada no ano-base ao do calendário.

Para ter direito ao abono, o trabalhador precisa atender os seguintes requisitos:

  • Ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos com carteira assinada no ano-base;
  • Ter exercido atividade remunerada para pessoa jurídica, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base ao calendário vigente;
  • Estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos;
  • Estar com os dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).



Fonte: R7