Pequenos desenvolvedores de apps podem ganhar até US$ 90 milhões do Google

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

48 mil profissionais entraram com uma ação contra o Google, entenda os motivos

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Ainda que o Google permita outras lojas de aplicativos em sua versão Android para smartphones, a Play Store, sua loja oficial, é o lugar mais indicado para desenvolvedores focados no sistema operacional. Contudo, esses profissionais apontam que o Google está fazendo mal uso de seu poder e entraram com uma ação coletiva em 2021 contra a companhia.

Fundo de apoio

Dessa forma, agora foi realizado um acordo onde o Google estabeleceu um fundo de US$ 90 milhões para apoiar pequenos desenvolvedores nos Estados Unidos, viabilizando alterações na Play Store. De acordo com o site Android Police, 48 mil demandantes participaram da ação.

Hagens Berman, um escritório de advocacia que já obteve várias vitórias contra empresas de Big Tech, foi o representante desses demandantes. O Google afirma que está pagando o dinheiro a quem “ganhou US$ 2 milhões ou menos em receita anual por meio do Google Play durante cada ano de 2016 a 2021”, que parecem ser aproximadamente de 99% dos desenvolvedores na loja.

Além dos US$ 90 milhões, a gigante de buscas assumiu o compromisso de continuar oferecendo aos desenvolvedores que obtêm seu primeiro US$ 1 milhão de receita anual na Play Store com uma taxa de comissão reduzida de 15% até pelo menos 25 de maio de 2025.

Além disso, será criado pelo Google um “Indie Apps Corner” com o intuito de “mostrar desenvolvedores de startups independentes e pequenas criando aplicativos exclusivos de alta qualidade” diretamente na guia de aplicativos da Play Store dos EUA.

Bolsas de estudo no Brasil

Foi anunciado pelo Google que, até 2026, a empresa irá fazer a distribuição de 500 mil bolsas de estudos para a formação de jovens em  “áreas de atuação altamente demandadas pelo mercado de trabalho”. 

De acordo com a gigante de buscas, as bolsas serão focadas na formação de profissionais em suporte de Tecnologia da Informação (TI), análise de dados, gerenciamento de projetos e design UX (User Experience ou experiência do usuário).

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal no YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Instagram e Twitch. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Jay Fog / Shutterstock.com



Fonte: Economia R7