Parlamento Europeu aprova acordo comercial e encerra a saga do Brexit | Mundo

0
17


O Parlamento Europeu aprovou por ampla maioria o acordo sobre a relação comercial pós-Brexit com o Reino Unido, em uma votação que representa o ponto final para o difícil e doloroso processo de saída do país da União Europeia (UE).

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, anunciou nesta quarta-feira (28) que o acordo foi aprovado por 660 votos a favor, 5 contrários e 32 abstenções. A votação foi secreta e ocorreu na tarde de terça-feira (27).

Os líderes das outras duas instituições europeias — o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen — celebraram a decisão do Parlamento.

Michel escreveu que começa agora “uma nova era” nas relações entre UE e Reino Unido, enquanto Von der Leyen disse que será “essencial a fiel aplicação” dos mecanismos estabelecidos no acordo.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, saudou a votação do Parlamento Europeu como “o último passo em uma longa viagem”. “Agora é o momento de olhar para frente, em direção ao futuro”.

Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em frente à residência oficial em Downing Street, Londres, em 22 de fevereiro de 2021 — Foto: Hannah Mckay/Reuters

O secretário britânico para as Relações com a UE, David Frost, disse que as partes agora podem “iniciar um novo capítulo juntos como europeus, caracterizado pela cooperação amistosa entre soberanos em pé de igualdade”.

O ministro da Economia da Alemanha, Peter Altmaier, destacou que o comércio bilateral “caiu fortemente” nos últimos meses. “Isto mostra que as empresas precisam de regras confiáveis. É por isto que o novo acordo comercial e de cooperação é importante para as duas partes”.

“Com o acordo, queremos aumentar a segurança jurídica para as empresas e os cidadãos e, assim, fortalecer novamente nossas relações econômicas. Isto é importante para UE, mas também para o Reino Unido”, afirmou Altmaier.

Aprovação no fim do prazo

O acordo sobre a relação comercial entre os dois ex-sócios se arrastou por quase todo o ano de 2020 e foi alcançado apenas no fim de dezembro, a poucos dias do fim do prazo estabelecido.

O Reino Unido ratificou o acordo ainda em dezembro, mas o Parlamento Europeu advertiu que a análise das mais de 1,2 mil páginas do tratado exigiria tempo para sua aprovação.

Desta maneira, o acordo pós-Brexit foi implementado de forma provisória, com um prazo que terminaria na sexta-feira (30). Londres já havia antecipado que não aceitaria uma prorrogação da aplicação provisória.

As relações entre Bruxelas e Londres enfrentaram nos últimos meses uma evidente crise de confiança, em especial por iniciativas britânicas relacionadas à aplicação do acordo na Irlanda.

Bruxelas critica Londres por violar o protocolo irlandês estabelecido no tratado do Brexit, com a manutenção de alguns controles alfandegários e sanitários entre a República da Irlanda (que integra a UE) e a Irlanda do Norte.

A UE se esforçou para negociar um regime especial que impediria o estabelecimento de uma fronteira física na Irlanda, para proteger o Acordo da Sexta-Feira Santa de 1998, que acabou com a violência na região.

Disputa por vacinas contra Covid

Desde o início deste ano, também explodiu uma disputa entre Reino Unido e União Europeia pelos atrasos nas entregas de vacinas do laboratório anglo-sueco AstraZeneca ao bloco europeu, enquanto o Reino Unido recebia as doses no prazo combinado.

A Comissão Europeia anunciou na segunda-feira (26) que iniciou uma ação legal contra a AstraZeneca por não ter respeitado o contrato de fornecimento da vacina de Oxford contra a Covid-19 e por não ter um plano confiável para garantir as entregas a tempo.

Comissão Europeia entra na justiça contra a AstraZeneca

Comissão Europeia entra na justiça contra a AstraZeneca

VÍDEOS: novidades sobre vacinas contra a Covid-19



Fonte: G1