Ouro fecha de novo no vermelho, abaixo dos US$ 1.800

0
13


Por Barani Krishnan, da Investing.com – O ouro sofreu uma nova queda dura abaixo do nível crítico de US$ 1.800 por onça na quarta-feira (8), antes de fechar novamente no vermelho pelo quarto dia consecutivo depois que a retomada do dólar limitou a recuperação do metal dourado.

Os contrato futuros do ouro mais ativos na Comex de Nova York fecharam em queda de US$ 5,00, ou 0,3%, a US$ 1.793,50 por onça. Antes do fechamento, o ouro tinha caído a US$ 1.783,75 — seu valor mais baixo desde 27 de agosto — depois de uma máxima intradia de US$ 1.804,35.

Na terça-feira, o ouro de dezembro perdeu US$ 35, ou 2%, na sua maior queda em um único dia em um mês.

Apesar de seguir aproximadamente a mesma trajetória do dia anterior, o ouro reduziu as suas perdas na quarta-feira depois que a demanda num leilão do Tesouro de 10 anos lançou os rendimentos de títulos para baixo.

John Williams, presidente do Federal Reserve de Nova York, também criou novas pressões hawkish sobre as ações, após defender a redução do estímulo econômico de 18 meses do banco central assim que possível.

No entanto, o ouro não foi capaz de capitalizar estes elementos para fechar acima dos US$ 1.800. “O ouro precisa que Wall Street acredite que vimos a máxima nos rendimentos do Tesouro para o ano e que alguns investidores institucionais percam a confiança nas criptomoedas“, afirmou Ed Moya, da OANDA, de Nova York. “Os investidores do metal estão hesitantes em comprar a queda neste momento e podem esperar para ver sinais dos bancos centrais de que provavelmente haverá mais estímulos para abordar a recente desaceleração.

“Caso o ouro se mantenha abaixo dos US$ 1.800, ele corre o risco de cair para US$ 1.500 ou menos”, disse Moya.

O ouro permanece na zona de perigo à medida que o dólar continua seu rali com fluxos para portos seguros”, acrescentou.

O mais recente mal-estar do ouro ocorre na esteira da retomada do dólar, quando a moeda norte-americana atingiu uma recuperação após seis dias de golpes culminando com o relatório do emprego nos EUA de sexta-feira, que ficou quase 70% abaixo da meta.

Com efeito, o ouro deveria ter mantido seu encanto na semana passada, mas em vez disso, rendeu-se ao dólar, disse Sunil Kumar Dixit, da SK Charting em Calcutá, na Índia.

“A trajetória do ouro daqui em diante vai depender de como o DX vai se comportar”, disse Dixit, usando o símbolo de negociação para o Índice do dólar, que contrapõe a moeda americana a seis outras principais divisas do mercado de câmbio.

“O ouro está atualmente preso entre US$ 1.797 e US$ 1.803. Este intervalo de seis dólares decidirá o desempenho do ouro à frente”, Dixit acrescentou. “Se continuar abaixo de US$ 1.797, provavelmente ele vai seguir para US$ 1.770. Se conseguir se sustentar acima dos US$ 1.797 e ultrapassar os US$ 1.803, ele poderá voltar a subir para os US$ 1.825”.

Deixe seu Comentário





Fonte: R7