Organizações ambientais comentam operação de exportação ilegal de madeira que teve Salles como alvo | Natureza

0
7


“Entre proteger florestas e beneficiar criminosos, o atual governo já deixou bem claro de que lado está, e Ricardo Salles é figura central no trabalho de minar a capacidade das instituições ambientais para exercerem seus deveres. O resultado desse trabalho é a explosão de desmatamento, queimadas, crimes ambientais, violência contra os povos da floresta e destruição”, acrescentou.

A entidade reforçou que o Brasil não merece “mais passar vergonha diante do restante do mundo por uma desastrosa política antiambiental que nos faz caminhar para trás”.

Já o Observatório do Clima afirmou que a “conta do desmonte parece enfim ter chegado”, depois de um ano e três meses de o ministro do Meio Ambiente e o presidente do Ibama “terem atuado em favor de madeireiros e liberado a exportação de madeira amazônica sem fiscalização.”

“Hoje infelizmente quem quiser saber sobre a questão ambiental no Brasil precisa abrir as páginas policiais.”

Representantes do agronegócio

O G1 procurou as principais entidades do agronegócio para comentar o assunto. A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) afirmaram que não irão se pronunciar neste momento.

A Confederação Nacional do Agronegócio (CNA) e a Associação das Indústrias Exportadoras de Madeiras do Pará e Amapá (Aimex) não retornaram até a última atualização desta reportagem.

Ricardo Salles: veja as investigações contra o ministro do Meio Ambiente



Fonte: G1