O que muda no currículo para conquistar vagas temporárias neste ano? Veja dicas | Concursos e Emprego

0
36


Os últimos meses do ano trazem milhares de oportunidades temporárias para atender à demanda de final de ano, em especial nos setores de comércio e serviços. Projeção da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) é de que cerca de 400 mil vagas temporárias devem ser criadas no último trimestre. Em tempos de desemprego recorde, o trabalho temporário é uma chance de os desempregados voltarem ao mercado de trabalho. Por isso, ajeitar o currículo para essas vagas é essencial, segundo especialistas.

De acordo com Rogerio Bragherolli, economista especialista em capital humano e empregabilidade, com o crescimento do comércio eletrônico em função da pandemia, qualificações relacionadas a tecnologia, e-commerce e atendimento virtual devem ser priorizadas no currículo.

Veja as dicas de Bragherolli para elaborar o currículo digital:

  • Destaque as habilidades com tecnologia e softwares digitais logo no topo da apresentação profissional. O modelo de trabalho remoto e as habilidades com o novo mundo digital vêm se consolidando, sendo parâmetros de diferenciais.
  • Priorize informações relacionadas à flexibilidade profissional e de horário. Hoje é de suma importância o candidato apresentar disponibilidade para trabalho em formato home office, presencial ou como for melhor para a empresa.
  • Crie um currículo digital com no máximo duas folhas, com linguagem simples e leitura amigável, layout profissional e convidativo. Isto é, com bom espaçamento entre linhas e destaques em negrito somente para as informações que devem ser ressaltadas, pouco sublinhados para não poluir.
  • Atenção à comunicação. A vaga pode ser para atendimento virtual e vai se destacar o candidato que demonstrar a melhor maneira de se expressar, sem usar gírias, abreviações e outros vícios de linguagem que as redes sociais acabam incorporando.
  • É fundamental demonstrar proatividade, interesse em aprender e trabalhar em equipe. Isso fará a diferença.
  • Inclua o endereço do Linkedin e outras redes sociais que possam contribuir com sua imagem pessoal e profissional. Por isso, é fundamental que as informações estejam alinhadas com o currículo.

Mas, antes de enviar o currículo, o candidato deve analisar se o seu perfil é compatível com a empresa e a função que será desempenhada.

As vagas temporárias não exigem tantos requisitos quanto as oportunidades para cargos mais específicos. Por isso, o profissional tem maior liberdade para descobrir novas áreas e se desenvolver profissionalmente, aproveitando para ganhar aprendizado. Mas é importante o candidato avaliar as suas próprias características e analisar em que funções gostaria de trabalhar.

Bragherolli alerta ainda sobre os cuidados nas mídias sociais. “Além do currículo, o recrutador irá recorrer à internet para obter mais informações, principalmente sobre comportamento. Atualmente, as redes sociais são filtros importantes”, diz.

Ele aconselha evitar comentários religiosos, políticos e que envolvam assuntos polêmicos que possam levar ao questionamento de postura do candidato. Segundo ele, até mesmo um comentário “despretensioso” pode colocar tudo a perder.

Outras dicas para o currículo

Veja dicas gerais da Luandre Soluções em Recursos Humanos e da especialista em recolocação e carreira Taís Targa para elaboração do currículo:

Informações claras e objetivas na ordem correta deixam o currículo mais atrativo e fácil de ser analisado pelo recrutador.

Qual é sua área, cargo de interesse e expertise? Deixe claro o que você procura. Não adianta colocar várias opções, isso só dificulta a busca do recrutador. Abaixo dos objetivos, coloque uma nota informando a disponibilidade para trabalhos temporários e/ou freelancers.

Especifique sua formação e experiência

Algumas vagas exigem certo tempo de experiência. Se você já atuou por bastante tempo no mercado, em diferentes lugares, especifique, mas pode resumir as atividades executadas. As últimas experiências profissionais devem ser informadas da mais recente para a mais antiga.

Caso ainda não tenha experiência, crie um tópico com suas habilidades (proatividade, fácil aprendizado e boa comunicação) e mencione no objetivo o grande interesse em entrar no mercado de trabalho temporário.

Não minta sobre a fluência em idiomas

Dependendo do perfil, local e público atendido, algumas lojas exigem fluência em inglês ou outra língua. Por isso, seja claro e honesto quanto às suas habilidades.

Nunca esqueça de inserir dados pessoais e contatos

Por mais óbvio que possa parecer, muitos esquecem de acrescentar ou atualizar essas informações e, por isso, perdem grandes oportunidades. O ideal é que essas informações estejam no topo do currículo, facilitando o trabalho de triagem.

Veja abaixo um modelo de currículo disponibilizado pela consultora Taís Targa:

Modelo de currículo sugerido pela consultora Taís Targa — Foto: Reprodução

Continuação do modelo de currículo sugerido pela consultora Taís Targa — Foto: Reprodução

Entenda o trabalho temporário

O trabalho temporário é prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços ou cliente. E essa contratação é somente para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços.

A duração do contrato de trabalho máxima é de até 180 dias, com a possibilidade de ser prorrogado uma única vez por até 90 dias corridos, independentemente de a prestação de serviço ocorrer em dias consecutivos ou não. Ou seja, o prazo deve ser contado de forma corrida, considerando a contagem também dos intervalos contratuais, e não apenas considerando só os dias efetivamente trabalhados.

Direitos trabalhistas previstos no contrato temporário

  • jornada de trabalho de, no máximo, oito horas diárias – mas poderá ter duração superior na hipótese de a empresa tomadora de serviços utilizar jornada de trabalho específica;
  • as horas que excederem à jornada normal de trabalho serão remuneradas com acréscimo de, no mínimo, 50%;
  • acréscimo de, no mínimo, 20% da remuneração quando o trabalho for noturno;
  • descanso semanal remunerado;
  • remuneração equivalente à dos empregados da mesma categoria da empresa tomadora de serviços, calculada à base horária, garantido, em qualquer hipótese, o salário-mínimo regional;
  • pagamento de férias proporcionais, calculado na base de um 1/12 do último salário;
  • Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS);
  • benefícios e serviços da Previdência Social;
  • seguro de acidente do trabalho;
  • anotação da condição de trabalhador temporário na Carteira de Trabalho e Previdência Social

Assista a mais notícias de Economia:



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui