Números de telefone aparecem no Google? Entenda como contatos de WhatsApp podem se tornar públicos | Blog do Altieres Rohr

0
27


Um pesquisador de segurança apontou que é possível encontrar diversos resultados no Google que apontam para páginas do WhatsApp Web.

Os links mostram o número de telefone dos usuários do aplicativo e alguns deles têm até mensagens. Mas por que, exatamente, esses links foram parar no Google?

Segundo o pesquisador, o indiano Rajshekhar Rajaharia, o problema seria do WhatsApp ou do Google. Como o Google disponibiliza ferramentas para que donos de sites determinem o que aparece na busca, o WhatsApp poderia atuar para remover esses resultados.

Infelizmente, a questão não é tão simples. E tirar esses resultados do Google não vai proteger a informação das pessoas.

Embora seja verdade que o WhatsApp poderia esconder essas informações dos resultados, elas não deixariam de ser públicas. E é por isso que esses dados estão na busca: tudo está em páginas que qualquer um pode acessar na web.

O que aparece nas pesquisas?

O WhatsApp Web permite que as conversas mantidas pelo aplicativo do WhatsApp sejam replicadas no navegador de um computador.

Porém, essas conversas aparecem apenas na tela de quem está acessando o WhatsApp Web – elas não fazem “parte” do site.

Como as conversas do WhatsApp Web são criptografadas e só aparecem no navegador do usuário por meio de uma transmissão específica, o Google jamais tem acesso aos contatos ou mensagens particulares que passam por esse canal.

Para entender como alguns números e recados foram parar no Google, é preciso saber que o WhatsApp permite a criação de links que definem um número de contato e uma mensagem para ser enviada pelo aplicativo.

Se você já tentou iniciar uma conversa no WhatsApp com alguém que não está em sua lista de contatos, você sabe que isso não é muito intuitivo. É aí que entram esses links.

O WhatsApp chama esse recurso de “Conversa em um clique”. O link pode ser criado e colocado em qualquer página web para iniciar uma conversa direta com o número indicado.

A conversa inicia no aplicativo quando o link é aberto no celular, mas acessos por computador são remetidos ao WhatsApp Web.

O Google está o tempo todo realizando uma varredura na internet para melhorar seu índice de pesquisa, seguindo incontáveis links com o objetivo de encontrar o conteúdo mais relevante.

Como muitos grupos e contatos do WhatsApp são divulgados em páginas abertas, mecanismos de pesquisa como o Google encontrarão esses links em algum momento.

Por isso, os links que aparecem no Google são, em maior parte, derivados de:

  • Convites para grupos do WhatsApp divulgados em canais públicos como sites, publicações em redes sociais e assim por diante.
  • Páginas que divulgam o número do WhatsApp referente a uma empresa, loja ou até de profissionais que atendem seus clientes por meio do aplicativo.

Além do número, o “Conversa em um clique” do WhatsApp pode ser ajustado para deixar uma mensagem já redigida. Por exemplo: um profissional pode criar um link que inicia uma conversa com a frase “gostaria de agendar um atendimento” para saber de onde seu cliente veio.

Como a mensagem passa a fazer parte do link criado, essa mensagem também fica gravada nos dados recolhidos por mecanismos de pesquisa como o Google. As mensagens que aparecem nos resultados de pesquisa não são de conversas reais – são apenas os recados “prontos” que fazem parte dos links.

A não ser que você ou alguma outra pessoa tenha divulgado um link desse tipo com seus dados, é improvável que seu número esteja entre os resultados exibidos pelo Google com referência do ao WhatsApp.

Caso queira saber mais sobre o “Conversa em um clique” do WhatsApp, você pode consultar a documentação oficial.

Mesmo que o WhatsApp e o Google tomassem providências para tirar esses links dos resultados de busca, isso não seria muito diferente de tapar o sol com a peneira.

Pessoas interessadas nesses dados podem vasculhar a internet da mesma forma que o Google.

Divulgar um número na internet para contato, promover grupos e até participar de grupos livres e abertos pode fazer com que seus dados fiquem mais acessíveis na web. Contudo, isso não significa que você corre perigo.

Tudo que é publicado na internet está sujeito a uma espécie de “efeito agregador”.

Vejamos um exemplo. Alguém que revela publicamente sua cidade e profissão em uma rede social está contribuindo para que outra pessoa, em algum momento, reúna uma lista de todos os profissionais do ramo que existem naquela cidade. Assim, uma informação isolada, quando agregada de outras, mostra-se muito mais útil.

O compartilhamento individual, quando agregado por meio de mecanismos de coleta de dados e pesquisas – e isso inclui o Google – pode se tornar uma grande fonte de informações.

A mesma coisa acontece com dados de contato, como é o caso dos links do WhatsApp. Para quem está compartilhando esses dados em sua página pessoal ou perfil em rede social, o impacto na privacidade é mínimo. Porém, criminosos podem agregar essas informações e posteriormente lançar golpes ou fraudes em massa.

Isso já está acontecendo. Criminosos usam telefones de contato expostos em anúncios de produtos para entrar em contato com os vendedores e alegar que precisam de um código para uma “atualização de cadastro”. Quem acredita nessa conversa acaba tendo sua conta de WhatsApp roubada.

O importante é se manter consciente a respeito do que você faz e das consequências. O compartilhamento de dados permite que a internet fique mais personalizada para nós e pode nos aproximar de muitas pessoas, mas também pode convidar fraudes.

Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected]

5 dicas para sua segurança digital

5 dicas de segurança para sua vida digital

5 dicas de segurança para sua vida digital

Assista mais vídeos para se manter seguro online



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui