Musk negocia mais financiamento para aquisição do Twitter, dizem fontes

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Por Chibuike Oguh e Krystal Hu

LOS ANGELES/NOVA YORK (Reuters) – Elon Musk está negociando com grandes empresas de investimento e indivíduos abastados a tomada de mais financiamento para a aquisição do Twitter, negócio que ele e o conselho de administração da rede social acertaram por 44 bilhões de dólares, afirmaram fontes próximas do assunto.

O bilionário quer vincular menos de seu patrimônio ao negócio, segundo as fontes.

Bancos concordaram no mês passado com financiamento garantido de 13 bilhões de dólares para a aquisição proposta por Musk. O bilionário se comprometeu em fornecer mais 21 bilhões de dólares em dinheiro para a transação.

Musk pode usar o novo financiamento para reduzir sua contribuição no negócio, afirmaram as fontes.

O bilionário também prometeu entregar parte de suas ações da Tesla aos bancos para conseguir um empréstimo de 12,5 bilhões para completar o pacote de recursos para a transação. Ele pode tentar reduzir o montante diante de interesse de novos investidores no financiamento da transação, afirmou uma das fontes.

Grandes investidores como empresas de private equity, gestoras de fundos multimercado e indivíduos ricos estão conversando com Musk sobre financiar parte da aquisição, de modo que forneceria uma participação que renda dividendos a eles.

Apollo Global Management e Ares Management estão entre as empresas de private equity que negociam com o bilionário, afirmaram as fontes.

Musk ainda está se decidindo se vai dividir parte do financiamento da aquisição com investidores, afirmaram as fontes. Ele não está pretendendo atualmente levantar mais dívida para assegurar o negócio, acrescentaram as fontes.

Musk, Apollo e Ares não comentaram o assunto de imediato.

Na semana passada, Musk revelou que vendeu 8,5 bilhões de dólares em ações da Tesla. Ele não disse o motivo da venda, mas investidores interpretaram a decisão como uma ferramenta para levantar recursos para a compra do Twitter.

(Por Chibuike Oguh, em Los Angeles, e Krystal Hu, em Nova York)









Fonte: Mix Vale