Ministro da Cidadania diz que auxílio emergencial está ‘muito distante do ideal’ e cita limitação orçamentária | Auxílio Emergencial

0
10


O ministro da Cidadania, João Roma, afirmou nesta quarta-feira (24) que o valor do novo auxílio emergencial “está muito distante do ideal” e citou limitações orçamentárias do governo. Diante de parlamentares em audiência na Câmara que defenderam um valor maior para o auxílio, o ministro afirmou que o momento é de “cooperação e serenidade”.

A nova rodada do auxílio emergencial começa a ser paga em meados de abril, como medida de resgate aos mais vulneráveis em momento de agravamento da pandemia de Covid-19.

O retorno do benefício será em quatro parcelas, com valores específicos conforme o perfil de quem recebe. O valor médio dessa rodada é de R$ 250, mas pode variar de R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família.

“O valor do novo auxílio emergencial está muito distante do que seria o ideal para aqueles que estão vivendo dificuldades, dificuldades de ir e vir, dificuldades para sair e ganhar o sustento da sua família, passando por privações. Então, é um momento de muita cooperação e serenidade”, disse o ministro.

Cobrado por deputados da oposição ao governo de Jair Bolsonaro a respeito do valor, o ministro lembrou que o limite para o pagamento das quatro novas rodadas R$ 44 bilhões, fora do teto de gastos. O auxílio emergencial no ano passado foi pago em quatro parcelas de R$ 600.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) propôs o pagamento no valor mínimo de uma cesta básica.

“O auxílio emergencial neste momento precisa ser pelo menos o valor da cesta básica, de R $630. Queria fazer um apelo para que ministro, vossa excelência se junte à luta para que tenhamos liberação do orçamento acima do teto, para garantir o auxílio da subsistência e para enfrentarmos essa pandemia com fatos concretos e realidade concreta”, afirmou a deputada. .

Ex-ministro da Saúde e deputado federal, Alexandre Padilha (PT-SP), lembrou que os EUA estão ampliando seu endividamento para apoiar famílias que precisam de renda durante a pandemia.

“O valor que pretende o governo é insuficiente. Estamos aqui para ajudar os eu trabalho e sua vida, e a sua vida será muito melhor, sobretudo a vida do povo brasileiro, se tivermos a recuperação do auxílio emergencial nos valores praticados no ano passado”, disse Padilha.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui