Milhares de agricultores protestam contra reformas na legislação da Índia | Economia

0
20


Milhares de agricultores protestaram nesta terça-feira (26) em Nova Délhi, Índia, contra as novas leis agrícolas do país que, segundo eles, ameaçam seus meios de subsistência. Pelo menos uma pessoa morreu depois enfrentamentos com a polícia.

Durante a manifestação, os agricultores chegaram a invadir o complexo histórico do Forte Vermelho e entraram em confronto com as forças de segurança, que usaram gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. O protesto coincidiu com o feriado do Dia da República na Índia.

Os manifestantes questionam as novas leis indianas que, segundo os produtores que acampam há mais de dois meses nos arredores de Délhi, só ajudam os grandes compradores privados. A agricultura é responsável por empregar quase a metade da população do país que tem mais de 1,3 bilhão de pessoas.

Protesto de agricultores em Nova Délhi, Índia, contra novas leis impostas sobre o setor em foto de 26 de janeiro de 2021 — Foto: Adnan Abidi/Reuters

O governo do primeiro-ministro Narendra Modi tem pedido aos produtores que parem de protestar contra as leis introduzidas em setembro, mas os agricultores afirmam que não vão ceder em suas demandas.

Há duas semanas, a Suprema Corte da Índia determinou a suspensão da implementação das novas leis agrícolas por prazo indefinido e nomeou um painel com quatro membros para escutar as objeções dos agricultores.

Polícia indiana reprime protesto de agricultores em Nova Délhi em 26 de janeiro de 2021 — Foto: Reuters/Stringer

O governo da Índia tenta novas negociações com os líderes dos protestos. O ministro da Agricultura e Bem-Estar dos Produtores, Narendra Singh Tomar, disse que o governo deve negociar com os agricultores com uma mente aberta.

Até o momento, rodadas anteriores de conversas fracassaram em apaziguar os agricultores acampados.

Os protestos representam um dos maiores desafios para o primeiro-ministro Narendra Modi desde que ele assumiu o poder em 2014, e as nove rodadas de negociações com sindicatos de agricultores não conseguiram encerrar os protestos.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui