Maior empresa de entretenimento do Paraguai começará aceitar Bitcoin e outras criptos

0
19


O “Grupo Cinco“, conhecido como maior empresa de entretenimento do Paraguai começará aceitar pagamentos em Bitcoin, Ethereum, Shiba e Chiliz a partir do mês que vem.

A companhia líder de clubes noturnos e entretenimento no Paraguai conta com vários estabelecimentos como bares e restaurantes, além de organizar vários shows no país.

A empresa planeja aceitar as criptomoedas como forma pagamento inicialmente em seus 24 pontos de vendas, que incluem clubes noturnos, restaurantes e pubs, segundo disseram os diretores da empresa, Santiago Sosa e Rodrigo Nogues Bazan em uma entrevista à CoinDesk.

Anúncio da GrupoCinco
Anúncio da GrupoCinco

Paraguai

Recentemente o deputado Carlitos Rejala do Paraguai se pronunciou a favor do Bitcoin, apresentando planos de um projeto de lei que tem como objetivo atrair empresas de mineração e outros negócios de criptomoeda para o Paraguai.

O anuncio mais recente por parte do Grupo Cinco pode ajudar que projeto de lei apresentado seja aprovado pelo Congresso, segundo um dos diretores da companhia, Santiago Sosa.

“Estamos falando de empresários lideres paraguaios que têm bastante influencia sobre a juventude. Isto é sumamente importante porque vai ser muito mais fácil para meus colegas deputados apoiar o projeto de lei se tem apoio social a nível local.”, disse Carlos Rejala.

Para começar a aceitar as criptomoedas como pagamento, a Grupo Cinco teve ajuda do empresário Juanjo Benitez Rickmann, CEO do bitcoin.com.py, uma empresa de mineração local.

Ao aceitar criptomoedas, a companhia vai proporcionar aos provedores e clientes faturas e recibos tradicionais, os pagamentos serão processados por meio da Lightning Network, como vem sendo utilizado em El Salvador.

Adoção crescente

Os comerciantes vão ter a opção de manter as criptomoedas ou troca-las por moeda fiduciária. A empresa disse também que seus estabelecimentos têm mais de 50.000 clientes por mês.

Para se adequar a legislação atual do Paraguai, o Grupo Cinco tratará as criptomoedas como ativos digitais porque no país ainda não há legislação para criptomoedas, disse Rickmann.

O movimento do Grupo Cinco pode incentivar os jovens do Paraguai a começar utilizar criptomoedas, já que 80% dos clientes da companhia têm entre 18 e 25 anos, disse Sosa.

Ele também disse que 60% da população do país tem menos de 30 anos. “Isso faz que o Paraguai esteja constantemente aberto a novas experiências”, segundo Sosa.

Sem dúvidas este é um grande passo para o Paraguai, assim como varias sinalizações estão acontecendo em outros países pela adoção das criptomoedas, que vieram para ficar.





Fonte: R7