Lira nega ter sido ameaçado pelo ministro da Defesa; Braga Netto diz que ameaça é invenção | Blog Ana Flor

0
15


O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (22) que é “mentira” a informação trazida pelo jornal “O Estado de S. Paulo” de que o ministro da Defesa, general Braga Netto, teria enviado um recado a ele avisando que, se não houver a aprovação do voto impresso e “auditável”, não haveria eleições em 2022.

Lira afirmou ao blog que irá soltar uma nota sobre o tema, negando a informação trazida pelo jornal.

Na manhã desta quinta, ao chegar ao Ministério da Defesa, Braga Netto foi questionado por jornalistas sobre a reportagem. Ele disse que é “invenção”.

VÍDEO:
VÍDEO:

VÍDEO: ‘Invenção’, diz Braga Netto sobre ameaça a Arthur Lira

O vice-presidente, Hamilton Mourão, também foi questionado sobre o tema ao chegar ao Ministério da Defesa. Ele estava a certa distância dos jornalistas e gritou: “É mentira”.

O comentarista da GloboNews do G1 Valdo Cruz informou que falou na manhã desta quinta com o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, general da reserva. Ramos disse que recebeu ligação de Braga Netto mais cedo e que o ministro da Defesa lhe afirmou que a informação do “Estadão” não procedia e que ele queria buscar uma forma de desmentir a reportagem.

De acordo com o “Estadão”, quando Braga Netto enviou o recado para Lira, estava acompanhado dos comandantes da Aeronáutica, Marinha e Exército.

O movimento do ministro da Defesa, ainda segundo a reportagem, ocorreu em 8 de julho. No mesmo dia, Bolsonaro declarou publicamente que, se não houvesse voto impresso, não haveria eleições.

Bolsonaro reclama de possibilidade de fraude nas eleições, mas não apresenta provas.

Na comissão da Câmara que analisa um projeto para o voto impresso, a tendência é de derrota do texto. Partidos políticos se manifestaram conjuntamente contra a proposta.

VÍDEOS: veja mais vídeos de política



Fonte: G1