Justiça aceita denúncia e torna réu hacker acusado de invadir sistemas do Senado Federal | Distrito Federal

0
17


A Justiça Federal em Brasília aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e tornou réu o hacker Marcos Roberto Correia da Silva, conhecido como VandaTheGod. Ele é acusado de invadir os sistemas do Senado Federal e foi preso pela Polícia Federal na sexta-feira (19).

A prisão ocorreu durante a operação Deepwater, que investiga o que é considerado o maior vazamento de dados já registrado no país.

O advogado de Marcos, Augusto Cesar Mendes Araújo, disse que teve acesso ao documento e que vai entrar com pedido de rejeição das denúncias e “afastamento das provas ilícitas colhidas durante a investigação”. Segundo ele, “a prova adquirida desafia a legalidade”.

O ataque ocorreu em agosto do ano passado, após a obtenção de dados e acesso ao e-mail de um ex-servidor público. Segundo o MPF, ao acessar os sistemas internos da casa legislativa, o hacker fez um vídeo “expondo a fragilidade de segurança da rede“. A gravação também foi publicada na internet.

A decisão do juiz federal da 10ª Vara Federal, Frederico Botelho, foi publicada na última terça-feira (23).

Segundo o magistrado, “os fatos imputados ao denunciado são descritos de forma clara e objetiva” e “está demonstrada a plausibilidade das alegações contidas na denúncia, que expõe de forma circunstanciada todos os fatos alegadamente criminosos”.

Marcos Roberto Correia da Silva responderá pelos crimes de invasão de dispositivo informático e divulgação de segredo.

Saiba mais sobre o megavazamento de dados de 223 milhões de brasileiros

Saiba mais sobre o megavazamento de dados de 223 milhões de brasileiros

De acordo com a denúncia, Marcos Roberto Correia da Silva confessou a autoria dos ataques durante interrogatório. Segundo o MPF, o hacker “descreveu o modus operandi” e, também, que o acesso indevido da rede do Senado Federal ocorreu por meio do computador e conta de internet de um amigo.

Segundo o Ministério Público, o hacker de “forma consciente e voluntária”, invadiu o sistema de intranet do Senado Federal no dia 28 de agosto do ano passado utilizando o e-mail de acesso vinculado a um ex-servidor, sem o consentimento dele.

Após a invasão, por meio do perfil criado por ele, o hacker realizou a divulgação dos dados obtidos em redes sociais.

Preso em Uberlândia hacker suspeito de vazar dados de 223 milhões de brasileiros

Preso em Uberlândia hacker suspeito de vazar dados de 223 milhões de brasileiros

Ainda de acordo com a denúncia, em novembro de 2020, o hacker também publicou em redes sociais trechos do inquérito policial aberto para apurar a invasão.

“Salienta que os documentos atinentes ao IPL (inquérito policial) supracitado são de acesso restrito às partes da investigação e aos servidores autorizados do órgão legislativo, haja vista o fato de que contém informações sensíveis e que não poderiam ser expostas sem justa causa”, diz o Ministério Público.

VÍDEOS: assista a mais notícias sobre vazamento de dados de brasileiros

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui