Investidores estão investindo mais em criptomoedas do que em ações

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Segundo relatório apresentado pela Cardify, a disputa entre investimentos em criptomoedas e ações anda bem disputado e atualmente está sendo liderado pelas criptos devido a sua alta demanda.

O crescimento do preço do Bitcoin pode ter sido um dos motivos, afinal a maior criptomoeda do mundo está crescendo fortemente desde o ano passado. Além disso, outros recursos como jogos e NFTs podem ter trazido novas pessoas para o setor.

Questões regulatórias também podem ajudar as criptomoedas, conforme há uma maior clareza sobre sua legalidade, mais investidores se sentirão mais seguros, afinal o medo de um banimento sempre espantou alguns deles.

Retornos do Bitcoin chamam atenção de investidores

Um relatório da Cardify do início deste ano mostra que alguns investidores estão preferindo alocar seu capital em criptomoedas do que ações. A alta do preço do Bitcoin, que ocorre desde 2020, pode ser o principal motivo desta virada de jogo.

O estudo mostra que, enquanto o valor de depósito médio por usuário, em janeiro de 2020, era de 350 dólares em ações, este número era de 250 dólares para criptomoedas.

Todavia, no início deste ano os investimentos em criptomoedas aumentaram, elevando esta quantia para cerca de 300 dólares em janeiro e fechando setembro em 263. Já investimentos tradicionais, caíram de 350 para menos de 250 dólares.

Valor médio de depósito por usuário em USD, Cripto vs Ações. Fonte: Cardify.

O estudo também aponta que 70% dos investidores em criptomoedas são de pessoas que entraram no mercado recentemente, no último ano, e apenas 14% deles está no mercado há mais de dois anos.

O Bitcoin pode ter começado a atingir o público mainstream, uma das principais causas podem ser a ampla gama de opções como jogos P2E e NFTs, que trouxeram gamers e artistas para as criptomoedas.

Tão seguro quanto investimentos tradicionais

A pesquisa também aponta que 50% das pessoas acredita que investimentos em criptomoedas são tão seguros quanto investimentos tradicionais. Além disso outras 7% acreditam que sejam ainda mais seguros.

Conforme países começam a estabelecer melhores práticas em relação as criptomoedas, como a elaboração de regulamentações que ajudam a proteger o consumidor ao mesmo tempo em que deixam a indústria se desenvolver, o número de pessoas que enxergam as criptomoedas como uma forma de investimento segura pode aumentar ainda mais visto que o medo de um banimento, como da China, ainda é a maior preocupação para muitos.





Fonte: R7