Hyundai promete ainda mais autonomia para seu novo carro elétrico

0
20


A Randon aprovou um projeto de nanopartícula via aporte de capital, conforme fato relevante encaminhado ao mercado na noite desta sexta-feira (27).

De acordo com o documento, trata-se da execução de um projeto para produção de nanopartículas de nióbio em larga escala, com o emprego de tecnologia proprietária, desenvolvida a partir de estudo científico realizado pelo Centro Tecnológico Randon e pelo Instituto Hercílio Randon, e objeto de pedido de patente depositado pela controlada Fras-le junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

Também disse que o projeto envolve a constituição de uma nova subsidiária, a NewCo, cujo sócio direto será o CTR, com 100%  das quotas de seu capital social, sendo que a companhia detém aproximadamente 55% das quotas do capital do CTR e a Fras-Le, os 45% remanescentes.

Randon

Ainda de acordo com o documento, o aporte de capital ao CTR, no montante de aproximadamente R$ 10 milhões, subscrito e integralizado pela companhia e por Fras-le, proporcionalmente às suas participações no capital social do CTR

O aporte de capital à NewCo, no montante de aproximadamente R$ 10 milhões, subscrito e integralizado pelo CTR, com os recursos recebidos no aporte de capital feito pela companhia e Fras-le.

Também disse que a celebração de contrato de licença de pedido de patente e know-how entre a Fras-le, titular do pedido de patente depositado, e a NewCo, se dará mediante contraprestação pela NewCo, a título de royalties, em bases comutativas, de acordo com as práticas de mercado.

Solução tecnológica

Conforme a empresa, a solução tecnológica objeto da patente será aplicada pela NewCo, cuja operação visa ampliar o foco, dedicar recursos e dar celeridade nas pesquisas e aplicações, inclusive fora do core business da Companhia.

A tecnologia será aplicada no processo produtivo de um insumo (pré-mix) que potencializa as propriedades de outros materiais, conferindo maior durabilidade, resistência mecânica e alterando de forma significativa suas características físico-químicas.

Inicialmente está prevista a aplicação na indústria automotiva podendo ser estendida para outros segmentos industriais.

Além disso, este processo produtivo utiliza métodos amigáveis ao meio ambiente, de maneira alinhada com o foco da companhia em conduzir os negócios de maneira sustentável.

A Randon está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker RAPT3.

Veja o documento:

Randon aprova projeto de nanopartícula e aporte de capital



Fonte: R7