Herdeira de livraria japonesa moderniza negócio e ajuda a popularizar cultura do país | PEGN

A livraria comandada pela Tatiana Fujita foi fundada há mais de 70 anos pelo avô dela, Yoshiro, um imigrante japonês. Ele veio ao Brasil em busca de novas oportunidades e desafios.

Com um espírito empreendedor, percebeu que muita gente queria notícias do Japão. Yoshiro morreu em 2014. Dois anos depois, Tatiana assumiu o negócio. Melhorou o sistema de pagamentos, divulgou nas redes sociais e montou um site da loja.

Para atrair mais interessados na cultura japonesa, ela trouxe mais de 5 mil novos títulos para a livraria. E investiu em edições em português. Ela também trouxe o mangá – a história em quadrinho japonesa – na versão em português.

Tatiana desenvolveu até um caderno para quem quer aprender a língua japonesa. Com tudo isso, o público da livraria foi mudando. Se antes quase todos eram japoneses, hoje tem muito jovem brasileiro. Depois que Tatiana assumiu a livraria, as vendas aumentaram 50%. Três mil títulos saem das prateleiras por mês.

“Acho que era uma gôndola em português e o resto era tudo, tudo japonês. Agora, com o público crescendo e uma geração vindo, a gente está atraindo mais amantes da cultura japonesa, pessoas que têm interesse de alguma forma pela cultura.”

Veja a reportagem completa no vídeo acima.

Fonte: G1